Gideões da CCB Livre de Religião.
Buscar
 
 

Resultados por:
 

 


Rechercher Busca avançada

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Julho 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      

Calendário Calendário

Estatísticas
Temos 1253 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de EXCCB

Os nossos membros postaram um total de 1729 mensagens em 557 assuntos
Anuncios

    Não há anúncios disponíveis.


    O NOME É A INDENTIFICAÇÃO ESCRITURAL DE CADA PESSOA!

    Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

    O NOME É A INDENTIFICAÇÃO ESCRITURAL DE CADA PESSOA!

    Mensagem por Fco Oliveira em Sab Abr 10, 2010 2:04 pm



    A ÚNICA E VERDADEIRA INDENTIFICAÇÃO ESCRITURAL DO VERDADEIRO MESSIAS É O SEU VERDADEIRO NOME! QUAL É ESTE NOME? SE É QUE TU O SABES, DIZ PROV. 30;4;

    Texto áureo: Atos 4:12 nos ensina: "E não há salvação em nenhum outro, porque debaixo dos Céus nenhum outro Nome nos foi dado, pelo qual importa que sejamos salvos". Nenhum outro nome significa exatamente o que as palavras dizem: "Nenhum outro Nome". Portanto vemos que o Nome do Messias para a nossa salvação é único, e de extrema relevância que o conheçamos e creiamos, porque somente neste Nome há salvação, porquanto este único Nome identifica o Messias com exatidão.

    O que é um nome?

    Um nome é um conjunto de sons, ou fonemas, os quais pronunciamos. Estes sons, ou fonemas podem ser representados graficamente por diferentes caracteres, dependendo do idioma em que os representemos, desde que tais sons ou fonemas não sofram alteração de um idioma para outro. O processo de transpor som a som de um idioma para outro chama-se transliteração.

    Como nomes próprios não possuem tradução, o correto a se fazer é transliterá-los, e não traduzi-los. Os dicionários procuram sempre apresentar o máximo de palavras que existam em um determinado idioma, e muitos dicionários apresentam as traduções dessas palavras para outro idioma.

    Contudo, nenhum dicionário apresenta nomes próprios, e muito menos traduções de nomes próprios, simplesmente pelo fato de que nomes próprios não são traduzíveis, mas apenas transliteráveis. A escrita é somente uma representação gráfica de sons, de modo que palavras possam ser representadas para serem registradas e lidas.

    Se tomarmos duas palavras, uma em português e outra em inglês, como exemplo, veremos que em inglês a palavra "house" significa, em português, "casa". Assim, a palavra "casa" em português é a tradução da palavra "house" em inglês. Se uma pessoa não conhecer o idioma inglês, com esta informação ela saberá apenas como se escreve a palavra "house", mas não saberá como tal palavra deve ser pronunciada.

    Agora representemos os sons da palavra "house" com escrita da língua portuguesa, assim: "ráuse". Assim, a escrita "ráuse" é a transliteração da palavra, e não sua tradução. Nomes próprios não possuem tradução como as demais palavras, e nem constam dos dicionários; eles podem apenas ser transliterados, de modo a que saibamos como é sua pronúncia original.

    Assim, jamais devemos buscar uma tradução para o Nome do Messias, e nem mesmo supostos "nomes correspondentes" em outros idiomas. A única atitude correta é transliterá-lo, de modo a que se possa saber sua pronúncia original.

    Transliteração literal e transliteração fonética.

    Chamamos transliteração literal a simples substituição de letras de um idioma para as letras correspondentes no outro idioma, e isso somente se aplica aos idiomas que possuem caracteres de formas diferentes entre si, como é o caso do hebraico e do português.

    Isso certamente não se aplicaria a idiomas que possuem os mesmos tipos de caracteres, como é o caso do português e do inglês. A transliteração literal nem sempre atende à necessidade do leitor com relação a saber a pronúncia correta da palavra, uma vez que a simples substituição de letras pelas correspondentes pode não evidenciar a pronúncia original da palavra.

    A transliteração fonética é a que mais auxilia o leitor quanto à forma correta de pronunciar a palavra, uma vez que ela estará escrita de forma ao leitor pronunciá-la diretamente pela simples leitura. Essa forma de transliteração é a representação escrita de cada som da palavra original, no idioma de destino.

    Representar um som utilizando as letras de um idioma nem sempre é simples, e às vezes nem é possível, pois o conjunto de caracteres do idioma de destino pode não possuir nenhuma letra que possua um determinado som.

    Esse é o caso, por exemplo, da letra "J", cujo som não pode ser representado por nenhuma letra do idioma hebraico, uma vez que nenhuma letra hebraica possui o som de "J". Do mesmo modo, a letra "J" nunca será utilizada para transliterações fonéticas do hebraico para o português, uma vez que não existe nenhuma palavra hebraica com o som da letra "J".

    Em todos os textos aqui apresentados, utilizaremos tanto a transliteração literal como a transliteração fonética, uma vez que necessitamos de precisão e confiabilidade sobre as informações apresentadas. Assim, sempre apresentaremos a transliteração literal seguida da transliteração fonética entre parêntesis.

    Façamos, pois, uma análise escritural sobre o Nome do Messias:

    O Nome do Messias é único para a salvação.

    É muito claro que, sendo a identificação única do verdadeiro Messias o seu Nome, nenhum outro nome o poderia identificar corretamente, e como não há salvação em nenhum outro, torna-se impossível a salvação de quem não o identificar corretamente pelo seu único Nome.

    Yahukhánam 1:12 nos ensina: "Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos do Altíssimo, a saber: aos que crêem no seu Nome". Este verso da Preciosa Mensagem de Yahukhánan (corrompido como 'João') nos ensina que aqueles que o receberam lhes foi dado o poder de serem feitos filhos do Criador, e diz mais: o verso especifica quem são estes que são feitos filhos do Criador. São aqueles que crêem no seu Nome. Crer no único e verdadeiro Nome do Messias é crer nEle, pois o seu Nome é a única e exata identificação de sua Pessoa.

    Yahukhánan 3:18 nos ensina: "Quem crê não é julgado; quem, porém, não crê, já está julgado, porquanto não crê no Nome do Unigênito Filho do Altíssimo Criador". Aqui, do mesmo modo, vemos que não crer no único e verdadeiro Nome do Messias é o mesmo que não crer nEle, em sua Pessoa, porque o seu Nome é a única forma de o identificarmos entre muitos falsos messias e impostores.

    Há um único salvador da humanidade, e este único salvador possui um Nome que o identifica. Outros nomes identificam outras pessoas ou outros espíritos, mas não o verdadeiro Messias.

    Provérbios 30:4 nos faz algumas perguntas para as quais devemos ter respostas. Certamente as escrituras não nos fariam perguntas para apenas deixarmos de lado e não nos tornássemos aptos a respondê-las. As perguntas feitas neste verso são extremamente importantes para a questão que estamos tratando, e demonstram com clareza a importância e prioridade que o assunto possui.

    Vejamos: "Quem subiu aos céus e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Quem amarrou as águas na sua roupa? Quem estabeleceu todas as extremidades da terra? Qual é o seu Nome, e qual é o Nome de Seu Filho, se é que o sabes?". Este verso escritural é talvez o maior desafio a que identifiquemos, não somente o Messias por seu Nome, mas também ao Criador Pai, igualmente por Seu Nome.

    Bem, agora são dois Nomes que precisamos conhecer...

    Existe uma íntima relação, como não poderia deixar de ser, entre o Nome do Criador Pai e o Nome do Seu Filho, o Messias. O Nome do Criador Pai (ABI) faz parte do Nome do Filho, o Messias. Assim, é melhor começarmos pelo Nome do Criador para em seguida chegarmos ao Nome do Filho, o Messias. Senão vejamos:

    Yahukhánan 17:11 nos ensina: "Pai Santo, guarda-os em Teu Nome que Me deste...". O Nome do Criador foi dado ao Messias como parte integrante do Nome do Messias. Este é um sinal de filiação e de vínculo familiar. O Filho recebe em Seu Nome o próprio Nome do seu Pai o Criador.

    O Nome do Pai é: YAHUH (ler-se Yárru);
    O Nome do Filho é: YAHUSHUAH (ler-se Yarrúxua).
    Que o Eterno Yahuh Ul seja hoje e sempre louvado.


    Última edição por Admin em Sab Nov 06, 2010 6:34 am, editado 1 vez(es)
    avatar
    Fco Oliveira
    Admin

    Mensagens : 1360
    Reputação : -1
    Data de inscrição : 13/07/2009
    Idade : 55
    Localização : Catanduva São Paulo

    http://gideoes-ccb.forumeiros.com

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: O NOME É A INDENTIFICAÇÃO ESCRITURAL DE CADA PESSOA!

    Mensagem por Uzgav em Dom Maio 02, 2010 9:48 am

    Realmente ao ler a bíblia podemos observar que os Nomes possuem muita importância.

    Tanto para pessoas como para objetos, animais e lugares, os nomes servem para identificação. Se alguém deseja falar com João, basta chamar por João e este se apresentará; porém, se chamar por José, não alcançará seu objetivo, pois quem atenderá será outra pessoa. Da mesma forma, se alguém que pretenda ir a Recife tomar uma condução e pedir ao motorista que a leve a Porto Alegre, verá a diferença que faz o uso errado do nome da cidade destino. Ou ainda, se alguém, desejando saciar a sede, pedir sal em vez de água, terá aumentada a sede em lugar de abrandá-la. Com estes exemplos simples, vemos a grande importância que têm os nomes das coisas, dos lugares e das pessoas.

    O Altíssimo evidentemente pôs no homem o desejo de dar nome às coisas. O primeiro humano tinha nome, Adam (Adão). Na história da criação, uma das primeiras coisas que as Sagradas Escrituras dizem que Adam fez, foi dar nome aos animais. Quando o Altíssimo deu uma esposa a Adam, imediatamente Adam a chamou de "anashim" (Mulher). Mais tarde, ele deu-lhe o nome de Khavyao (Eva), que significa "a Vivente", porque "ela havia de tornar-se a mãe de todos os viventes" - Bereshit (Gênesis) 2:19,23; 3:20.

    Nos dias da antigüidade, porém, os nomes, além de serem identificadores, iam ainda além disso. Eles tinham significados especiais. Os nomes antigos tinham relação com as circunstâncias do nascimento, do local, da aparência da criança, etc. Às vezes, o nome relacionava-se com o futuro da criança - é o caso dos nomes proféticos.

    Muitas vezes, o nome representava a personalidade do indivíduo. Assim, o nome da pessoa era algo muito importante, digno de honra, pois representava o caráter do indivíduo, isto é, o próprio indivíduo.

    Os povos antigos tinham por hábito dar nomes de seus ídolos aos seus descendentes. Como exemplo, temos Nebochadnezzar (Nabucodonosor), que significa "Nebo defende a fronteira" e Yezebel (Jezabel), por sua vez, quer dizer "Bel (Baal) é exaltado". O povo hebreu tinha um costume semelhante, isto é, davam a seus filhos nomes relacionados com o seu Altíssimo Soberano e Criador, o Verdadeiro Criador.

    Os nomes hebraicos começados ou terminados em "UL" ou "YAOHU" referem-se ao Altíssimo. ULYAOHU (Elias) significa YAOHU é Supremo; Kozoqiul (Ezequiel) significa "O Supremo é minha fortaleza".

    NOME HEBRAICO COMPOSIÇÃO SIGNIFICADO
    ULYAOHU (ELIAS) UL+YAOHU YAOHU é Supremo
    YARMIYAOHU (JEREMIAS) YARMI+YAOHU YAOHU Conforta
    YEHEZEQYAOHU (EZEQUIAS) YEHEZEQ+YAOHU YAOHU Minha Força
    YAOSHUAYAOHU (ISAIAS) YAOSHUA+YAOHU Salvação de YAOHU
    RANAMYAOHU (HANANIAS) RANAM+YAOHU Gracioso é YAOHU
    AWODYAOHU (OBADIAS) AWOD+YAOHU Servo de YAOHU
    ZOCHARYAOHU (ZACARIAS) ZOCHAR+YAOHU Lembrado de YAOHU

    Uzgav

    Mensagens : 45
    Reputação : 0
    Data de inscrição : 02/05/2010
    Idade : 54
    Localização : Japeri / RJ

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

    - Tópicos similares

     
    Permissão deste fórum:
    Você não pode responder aos tópicos neste fórum