Gideões da CCB Livre de Religião.
Buscar
 
 

Resultados por:
 

 


Rechercher Busca avançada

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Junho 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Calendário Calendário

Estatísticas
Temos 1252 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de edinelson

Os nossos membros postaram um total de 1728 mensagens em 556 assuntos
Anuncios

    Não há anúncios disponíveis.


    Cristãos Ortodoxos e Católicos: Separados por um Cisma Milenar.

    Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

    Cristãos Ortodoxos e Católicos: Separados por um Cisma Milenar.

    Mensagem por Antonio Soares em Dom Fev 07, 2016 10:43 am


    (2004) Papa João Paulo II

    Cristãos ortodoxos e católicos: separados por um cisma milenar.

    A separação entre os cristãos do Oriente e do Ocidente, que se tornaram ortodoxos e católicos, teve como fundo questões teológicas complexas, mas também profundas divisões políticas.

    Desde os primeiros séculos do cristianismo, as diferenças se fizeram sentir entre as Igrejas do Oriente e do Ocidente: alguns observam o rito greco-bizantino, os demais o rito latino, e cada um reivindica para si a verdadeira doutrina, em especial sobre a natureza da Trindade (Pai, ​​Filho e Espírito Santo).

    Acima de tudo, o Oriente, a terra dos Pais da Igreja, questiona quando o Papa, bispo de Roma, apresenta-se como o sucessor de Pedro, o discípulo a quem Jesus confiou a missão de fundar e conduzir sua Igreja.

    Em 451, o Concílio de Calcedônia estabeleceu o primado de Roma, mas Constantinopla o interpretou como um primado de honra não dando autoridade ao Papa sobre seus próprios fiéis.

    Mas, à medida que a autoridade do Papa começou a aparecer como uma ameaça do Ocidente Carolíngio frente ao patriarca e ao imperador de Constantinopla, a ruptura torna-se inevitável.

    Em 1054, na Catedral de Santa Sofia de Constantinopla, o cardeal Humberto excomungou o patriarca Miguel I Cerulçário, iniciando o Grande Cisma que perdura até hoje.

    Mas foi sobretudo as Cruzadas, temidas pela maioria dos cristãos do Oriente, que materializaram a separação, especialmente quando os cruzados estabeleceram patriarcados latinos paralelos aos patriarcados gregos.

    Em 1964, o encontro em Jerusalém entre o papa Paulo VI e Atenágoras, patriarca de Constantinopla, deu início a um processo de reconciliação: as excomunhões mútuas foram levantadas.

    Os encontros passaram a ser frequentes entre os seus sucessores - Francisco encontrou Bartholomeu em 2014 em Jerusalém e em 2015 em Istambul - e os gestos de boa vontade se multiplicaram.

    Desta forma, João Paulo II, em um gesto solene em 2004, devolveu aos ortodoxos as relíquias dos santos Gregório, o Teólogo, e João Crisóstomo, sequestrado em 1204 durante uma das cruzada.

    Em 1979, uma "comissão mista para o diálogo teológico" foi criada com o objectivo de uma reconciliação entre as duas tradições cristãs que, fora a liturgia, permaneceram bastante próximas.

    Mas ao longo dos séculos, foi o patriarcado de Moscou, com pelo menos 130 milhões de seguidores contra menos de 3,5 milhões de Constantinopla, que assumiu a liderança sobre o mundo ortodoxo, formado por 14 Igrejas autocéfalas.

    Mas as relações entre Moscou e a Santa Sé permaneceram por muito tempo em ponto morto, com os russos acusando o Vaticano de promover o proselitismo católico em terra ortodoxa.

    Fonte:  https://br.noticias.yahoo.com/crist%C3%A3os-ortodoxos-cat%C3%B3licos-separados-cisma-milenar-165913514.html
    avatar
    Antonio Soares

    Mensagens : 26
    Reputação : 10
    Data de inscrição : 04/04/2015
    Idade : 62
    Localização : Catanduva SP

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: Cristãos Ortodoxos e Católicos: Separados por um Cisma Milenar.

    Mensagem por Antonio Soares em Dom Fev 07, 2016 10:49 am

    O Papa fará uma escala em Cuba na viagem para o México

    O Papa Francisco se reunirá na próxima sexta-feira, dia 12 de fevereiro, em Cuba, com o patriarca de Moscou, Kirill I, no primeiro encontro entre os líderes de duas igrejas separadas há quase um milênio.

    Um evento histórico desde o cisma do século IV, que também marca o papado do primeiro pontífice latino-americano.

    A notícia foi anunciada de forma surpresa pelo Vaticano e representa uma nova etapa nas relações entre as duas igrejas cristãs mais importantes do mundo.

    Cuba, considerado território neutro, acolherá a reunião, que será realizada no aeroporto de Havana José Martí e terá uma duração de duas a três horas.

    "O encontro será realizado em Cuba, onde o papa fará escala antes de sua viagem ao México, e onde o patriarca estará na visita oficial", anunciou o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi.

    "Este encontro dos primados da Igreja católica e da Igreja ortodoxa russa, preparado há algum tempo, será o primeiro na história e marcará uma etapa importante nas relações entre as igrejas", afirma o Vaticano em um comunicado conjunto da Santa Sé e do patriarcado de Moscou.

    O pontífice e o líder da Igreja ortodoxa russa terão "um encontro pessoal no aeroporto internacional José Martí de Havana, que concluirá com a assinatura de uma declaração comum", informou Lombardi.

    Desde 1054, data das excomunhões mútuas e do maior cisma da cristandade, nenhum pontífice ou patriarca de Moscou - as duas igrejas cristãs mais importantes do mundo - haviam se encontrado.

    Os dois líderes religiosos acertaram o encontro na América Latina, já que Kirill foi convidado pelo presidente cubano Raúl Castro a visitar a ilha e o Papa tem programada uma viagem ao México de 12 a 17 de fevereiro.

    O encontro, segundo Lombardi, terá como mediador o presidente anfitrião.

    "Trata-se de um sinal de esperança", conclui o comunicado do Vaticano, que convida "todos os cristãos a rezar com fervor para que Deus abençoe esse encontro, para que dê bons frutos".

    Há anos se falava de um encontro entre o pontífice e o patriarca de Moscou, líder de dois terços dos 200 milhões de ortodoxos no mundo.

    Após a eleição do papa argentino, em março de 2013, aumentaram as esperanças, principalmente depois que, em novembro de 2014, Francisco comentou com a imprensa durante um voo de regresso da Turquia sobre sua vontade de se reunir com o líder ortodoxo.

    "Eu disse a ele: vou aonde você disser. É só me chamar que eu vou. Ele também tem este desejo", assegurou na ocasião.

    O Papa considera prioritária a aproximação entre religiões, em particular com as cristãs, muitas das quais estão lutando no Oriente Médio contra o radicalismo islâmico.

    "A atual situação no Oriente Médio, na África do Norte e Central e em outras regiões, onde os extremistas cometem um verdadeiro genocídio contra as populações cristãs, precisa de medidas urgentes e coordenadas", explicou em um comunicado a igreja ortodoxa russa, que confirmou que será um dos principais temas do encontro.

    "O tema da perseguição dos cristãos será central", afirma a nota, que reconhece que "apesar dos obstáculos, conseguiram organizar o encontro".

    As diferenças históricas entre católicos e ortodoxos russos são numerosas e profundas, mesmo que as duas igrejas concordem em muitas questões teológicas.

    Entre as diferenças mais importantes figura que os ortodoxos não reconhecem a primazia papal.

    As condenações moderadas de Francisco à política intervencionista do presidente russo Vladimir Putin na Ucrânia, que foi recebido em duas ocasiões no Vaticano, foram gestos apreciados pela igreja russa, embora criticadas pelos católicos ucranianos de rito grego, que apoiam o governo ucraniano.
    avatar
    Antonio Soares

    Mensagens : 26
    Reputação : 10
    Data de inscrição : 04/04/2015
    Idade : 62
    Localização : Catanduva SP

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: Cristãos Ortodoxos e Católicos: Separados por um Cisma Milenar.

    Mensagem por Gideão da CCB Livre em Sex Fev 12, 2016 4:22 pm


    Foto: EFE


    papa Francisco e o patriarca ortodoxo russo Kirill se encontraram na sala presidencial do aeroporto de Havana e se deram um abraço, naquele que é o primeiro encontro dos lideres das duas igrejas após o cisma do 1054.

    "Foi um encontro muito esperado tanto por mim como pelo meu irmão Cirilo (Kirill)", disse o papa aos jornalistas que lhe acompanham no voo que o levará à Cidade do México, entre eles a Agência Efe.

    Minutos antes, Francisco deu um sinal importante que procura abrir uma nova etapa de diálogo entre as igrejas católica e ortodoxa após quase mil anos de cisma. "Hoje é um dia de graça. É um presente de Deus este encontro com o Patriarca Kirill. Rezem por nós", publicou o pontífice em seu perfil oficial da rede social Twitter.
    O encontro ocorre no aeroporto José Martí da capital cubana e será o primeiro entre os chefes das igrejas católica e ortodoxa. A reunião entre os dois representantes terminará com a assinatura de uma declaração comum, segundo o Vaticano.
    Veja fotos:

    Foto: EFE


    Foto: EFE


    Foto: EFE


    Foto: EFE


    Foto: EFE

    Com informações da EFE
    avatar
    Gideão da CCB Livre

    Mensagens : 54
    Reputação : 10
    Data de inscrição : 05/04/2015

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: Cristãos Ortodoxos e Católicos: Separados por um Cisma Milenar.

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Conteúdo patrocinado


    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

    - Tópicos similares

     
    Permissão deste fórum:
    Você não pode responder aos tópicos neste fórum