Gideões da CCB Livre de Religião.
Buscar
 
 

Resultados por:
 

 


Rechercher Busca avançada

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Dezembro 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
    123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Calendário Calendário

Estatísticas
Temos 1270 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de FABIOSGAR

Os nossos membros postaram um total de 1751 mensagens em 572 assuntos
Anuncios

    Não há anúncios disponíveis.


    O Batismo Apostólico não é na Quaternidade da CCB!

    Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

    O Batismo Apostólico não é na Quaternidade da CCB!

    Mensagem por Fco Oliveira em Sex Set 18, 2009 11:37 am



    O Batismo Apostólico
    24/12/2007

    Introdução

    O Batismo Apostólico tem sido a maior luta da Igreja Apostólica desde o segundo século até nossos dias, para testemunhar a primazia do nome de Cristo Yahúshua dado pelo Pai no batismo para perdão de pecados, e hoje negado pelo Cristianismo.

    CAPÍTULO l

    1- EM QUAL NOME DEVEMOS SER BATIZADOS?

    Conheça a verdade e ela vos libertará (João 8: 31-32).

    A Bíblia diz: "Há um só corpo, um só espírito, como também uma só esperança, um só Adonay, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos e por todos" (I Coríntios 8: 6; Efésios 4: 4-6).
    Deus ordenou a João Batista, o batismo de arrependimento para perdão de pecados, praticado somente no nome de Yahúshua o Cristo, sendo o princípio do Evangelho (Marcos 1:5; Lucas 3:1-4; João 1: 6 e 33-34).

    Os que ouviram a João foram batizados no nome de Yahúshuah HaMashiach (Atos 19: 2-5). Yahúshua, depois de ressuscitado, confirmou o batismo em seu nome para perdão de pecados, para todas as nações (Marcos 16: 15-16; Lucas 24: 46-48).

    No dia de Pentecostes, os apóstolos batizaram 3.000 almas em nome de Yahúshuah HaMashiach (Atos 2: 37-38 e 41-42). Depois, os samaritanos e os gentios foram batizados em nome de Yahúshuah HaMashiach, chegando ao número de quase 5.000 pessoas batizadas neste acontecimento (Atos 8: 14-16, 10: 43-48, 4: 4).

    O homem no pecado está morto para Deus (João 5: 25-26; Romanos 5: 12-17; Efésios 2: 1-5). Pela fé e através do batismo em nome de Yahúshuah HaMashiach, somos sepultados e ressuscitados com Cristo (Romanos 6: 3-11), passando da morte para a vida (João 5: 24, I Coríntios 15:21-23; Efésios 2:1-6; I João 3: 13), reinando com Cristo pela primeira ressurreição no novo nascimento (João 3: 1-8; Romanos 6: 3-13; II Coríntios 5: 17-18; Colossenses 1:13-14, 2:12, 3:1-2; Hebreus 12: 28), tornando-nos, portanto, filhos de Deus pelo batismo (Gálatas 3: 26-29).

    O batismo em nome de Yahúshuah HaMashiach é ordem dada pelo Pai, e confirmada por Cristo Yahúshuah depois de ressuscitado. Quem a rejeita nega a justiça de Deus sem direito ao perdão de seus pecados (Marcos 16:15-16; Lucas 7: 27-30; João 3: 33-35, 8: 24-32). Ninguém pode colocar outro fundamento além do que foi colocado por Cristo (Atos 4: 11-12;II Coríntios 3: 10-13).

    Toda a mentira encoberta contra a verdade, Deus a revelará se examinarmos uma coisa com a outra dentro das Escrituras Sagradas (Eclesiastes 7: 27, Mateus 10:26-27; II Tessalonicenses 2: 3-12). A ordem do batismo em Mateus 28:19, é joio semeado no meio do trigo e é o véu no evangelho de Cristo, cegando o homem para não resplandecer a luz da glória de Cristo (Mateus 13: 24-30;II Coríntios 4: 1-5; Gálatas 1: 6-12).

    Esta ordem tem cinco pontos, usando Cristo para desmentir o Pai, e o Pai desmentindo Cristo!

    2-PROVAS BÍBLICAS DA ORDEM PARA O BATISMO EM NOME DE YAHÚSHUAH HAMASHIACH:

    Note estes pontos:

    1. Deus ordenou a João Batista o batismo em nome de Yahúshuah HaMashiach para perdão de pecados (Lucas 3: 2-3; João 1: 6, 33; Atos 19: 3-4), e Yaohúshuah o confirmou depois de ressuscitado para todas as nações (Lucas 24: 42-48, Atos 4: 11-12).;

    A ordem em Mateus 28:19 desmente a ordem dada pelo Pai Yahuh Ul (o Elohim Altíssimo), dizendo que foi Yahúshuah que mandou batizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

    Deus colocou a primazia do nome de Cristo no batismo e sobre todas as coisas (Atos 4: 11-12; Efésios 1:20-21; Filipenses 2: 9-11; Colossenses 1:18, 3:17). A ordenança em Mateus 28:19 desmente a ordem dada pelo Pai tirando a primazia do nome de Yahúshuah HaMashiach, colocando-o em segundo lugar (Atos 2: 37-38).

    2. A instituição do batismo em nome de Jesus Cristo saiu de Jerusalém, para todas as nações (Isaías 2: 2-3; Miquéias 4: 1-2; Lucas 24: 45-49), enquanto que a ordenança em Mateus 28:16-19 saiu da Galiléia, negando a instituição do batismo em nome de Jesus Cristo confirmada em Jerusalém, (Lucas 24: 45-49).

    No livro "História Sagrada", do Frei Bruno Heuser (pág. 271), há um comentário dizendo que Yahúshuah apareceu aos onze discípulos no monte da Galiléia, havendo ali 500 pessoas, e dizendo ainda que foi Yahúshuah HaMashiach que deu a ordem de Mateus 28: 19 (o batismo em nome da trindade).

    Esta afirmação esta frontalmente contra as Escrituras Sagradas. Yahúshuah ressuscitou no primeiro dia da semana (Domingo) e apareceu a Pedro, Maria Madalena e Maria sua mãe (Lucas 24: 34 ;I Coríntios 15:5), e no mesmo dia apareceu a duas pessoas que iam para Emaús e deu-se a conhecer no partir do pão.

    Os dois contaram aos 11 discípulos que estavam no cenáculo em Jerusalém, que Jesus ressuscitara; neste momento Yahúshuah HaMashiach apareceu aos discípulos e disse: "Paz seja convosco" (Marcos 16: 12-17; Lucas 24: 9 a 36).


    Yahúshuah HaMashiach apareceu a eles muitas vezes durante quarenta dias (Atos 1: 1-4), mas aos 11 discípulos reunidos, Yahúshua apareceu uma só vez no cenáculo em Yahushalaim (Jerusalém), e confirmou a eles, o batismo para perdão de pecados para todas as nações, dizendo-lhes: "Vós sois testemunhas desta verdade" (Marcos 16: 14-17; Lucas 24: 33-49 ; João 20: 19-24).

    A Bíblia prova que Yahúshuah HaMashiach apareceu somente as suas testemunhas (Atos 10: 40-43 ) e não as multidões no monte da Galiléia. Depois Yahúshuah HaMashiach levou seus discípulos a Betânia, uma aldeia no monte das Oliveiras de fronte à Jerusalém, e disse que esperasse a promessa do Espírito Santo feita pelo Pai Yahuh Ul (ler-se Iaorrur Altíssimo), os abençoou e subiu para o Pai. Assim, os discípulos voltaram a Jerusalém e esperaram a promessa (Zacarias 14: 4; Lucas 24: 48-53; Atos 1: 8-12).

    3. O batismo em nome de Yahúshuah HaMashiach é o testemunho do Pai Yahuh Ul para perdão de pecados, no nome de Yahúshuah HaMashiach para a salvação (I João cinco: 9-12).

    Foi testemunhado por Yahúshuah HaMashiach depois de ressuscitado (Marcos 16: 15-16; Lucas 24: 45-49), pelos apóstolos e profetas (Atos 2: 37-38; 10: 42-48). Ninguém pode por outro fundamento além deste (Atos 4: 11-12; I Coríntios 3: 10-13; Gálatas 1: 6-12).

    Em nenhum outro nome debaixo do céu, nos é dado ser salvos a não ser no nome de Yahúshuah HaMashiach. Cristo edificou a sua Igreja registrada no céu (Mateus 16: 18-19; Hebreus 12: 22-26), e Deus o constituiu cabeça da Igreja, e a porta da salvação (Salmos 118: 9-23; Isaías 28: 16-17; João 10: 7-10; Colossenses 1: 17-18).

    Yahúshuah HaMashiach escolheu 12 apóstolos, colunas da verdade (Gálatas 2: 9; Efésios 2:19-21; I Timóteo 3: 15; Apocalipse 3: 15). Quem não crê nos apóstolos não crê em Cristo, e quem não crê em Cristo Yahúshua não crê no Pai Yahuh Ul, e é deste modo que conhecemos a verdade de Deus contra a mentira de Satanás (Lucas 10: 16; I João 4: 5-6).

    O apóstolo Paulo disse: "Se alguém pregar outro Evangelho além deste que pregamos, seja maldito" (Gálatas 1: 6-12). Diante disso, Pedimos aos que batizam no em nome da trindade (Pai, Filho e Espírito Santo) com fundamento em Mateus 28.19, para nos provar dentro da bíblia um batismo realizado pelos apóstolos nesta ordem. Nesse batismo, não há perdão de pecados.

    Prestem atenção: No batismo em nome de Yahúshuah HaMashiach, somos sepultados e ressuscitados com Cristo na semelhança de sua morte e ressurreição (Romanos 6: 6-13; Efésios 1: 6; Colossenses 2: 12-13, 3: 1-4). O Pai é imortal (Timóteo 1:17, 6:16), não morreu e nem ressuscitou para batizarmos em seu nome; em tudo Cristo é sujeito ao Pai (João 6: 38, 8: 38, 12: 49), pois o Pai é maior que o filho (João 14: 28; Filipenses 2: 5-9) e mandou batizar no nome de seu Filho.

    Se o Filho, Yahúshuah HaMashiach, tivesse mandado batizar em nome do Pai, Yahuh Ul, então este ficaria humilhado pela ordem de Yahúshua, negando assim a primazia do poder do Pai sobre o Filho e a sua imortalidade (Deuteronômio 32: 39-40; Salmos 62: 11; Romanos 1: 20; Apocalipse 19: 1).



    CAPÍTULO ll

    ALGUMAS CONSIDERAÇÕES HISTÓRICAS SOBRE MATEUS 28: 19 I JOÃO 5: 8 E OUTRAS MUDANÇAS INTRODUZIDAS PELO CRISTIANISMO CONTRÁRIAS AS ESCRITURAS

    1- São Mateus 28. 19

    A História, no decorrer dos tempos, vem mostrando as mudanças efetuadas dentro do Cristianismo, por pessoas de grande influência religiosa, que causaram dentro da humanidade, grande subversão da lei divina, estabelecida dentro das Escrituras Sagradas.

    O batismo em nome da trindade (Pai Filho e Espírito Santo) é a maior subversão já feita pelo homem dentro da Bíblia, pois tirou a primazia de Yahúshuah HaMashiach como nosso salvador e mediador, para colocar o nome de um Deus trino, inexistente. Vamos expor alguns dados históricos que nos levam a provar o afirmado.

    No "Compêndio da História da Igreja", de autoria de Frei Dagoberto Romag, diz que a ordem do batismo escrita em Mateus 28: 19 (O Batismo em nome do Pai Filho e Espírito Santo) saiu da Pena de Tertuliano no ano 197 (1).

    Tertuliano, era natural de Cartago, filiado a doutrina da trindade de Montano. Escreveu o primeiro catecismo sobre o batismo da trindade, e acompanhado com este batismo o sinal da cruz, que se chamava “A fé de Irineu e Tertuliano”(2).

    Após sua morte no ano de 222/225, este dogma foi introduzido no ano 255 no primeiro sinódio dirigido por Cipriano. Tertuliano foi chamado de autor do batismo da idolatria(3).

    O bispo de Roma, Estevão I, não aceitou esse batismo como nova doutrina na Igreja de Catargo, mas não o eliminou. Sisto II aceitou a comunhão com a Igreja de Catargo, e em 313 em um outro sinódio confirmou a ordem do batismo em nome do Pai Filho e Espírito Santo, contrária aos donatistas que batizavam em nome de Jesus Cristo (4).

    Os Donatistas protestaram contra o batismo em nome da trindade e Constantino tirou as suas Igrejas, e confiscou os seus bens. Ario bispo da Igreja Apostólica ensinou, que Cristo é o filho primogênito e unigênito criado por Deus, e que a salvação consiste em crer nas duas pessoas da divindade (João 3:16-18, 14: 1, 17: 3 ), negou a trindade ensinando que o batismo para perdão de pecados é somente aquele praticado em nome de Yahúshuah HaMashiach.

    Em 325, foi realizado o primeiro concílio em Nicéia, para confirmar a trindade e o batismo em seu nome, e esse concílio foi presidido por Constantino, o bispo Silvestre, Hózio e Atanásio, que negaram Cristo como princípio da criação de Deus (Provérbios 8: 22-31; João 1: 1-3; Colossenses 2: 15-17) e sem prova desta verdade, estabeleceram o Dogma que em Deus há uma só pessoa que se manifestou como Pai, Filho e Espírito Santo em substância eterna (5).

    A negação da divindade como duas pessoas distintas é doutrina do Anti-Cristo (I João 1: 2-4, 2: 18-26), a partir do estabelecimento da trindade como dogma, começou a perseguição para aqueles que não aceitavam esta apostasia (6).

    A ordem de Mateus 29.19, introduzida na Bíblia, como já foi exposto, é contraditória a tudo o que foi praticado por Yahúshua e os seus Apóstolos. A Bíblia nos afirma, em Lucas 24.46.48, que Yahúshuah HaMashiach apareceu aos seus onze discípulos, dizendo: "era necessário que Cristo padecesse, mas que ressurgisse dos mortos ao terceiro dia, e que em seu nome se pregasse o arrependimento a penitência e a remissão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém".

    Isto não pode ser negado, sob pena de anularmos o sacrifício de Cristo na cruz por toda humanidade.

    I João 5.8:



    Os trinitários apoiam-se, além da passagem de Mateus 29.19, em mais duas passagens para afirmar o batismo em nome do Pai Filho e Espírito Santo. A segunda passagem é em João 16.7-14, aqui nada se refere a uma terceira pessoa. Yahúshuah HaMashiach falou por figuração acerca do pai, confirmar o restante da leitura João 15.7,15- 27.

    A terceira passagem se encontra em I João 5.7, que diz que são três os que dão testemunho: o Espírito, a água e o sangue; e estes três concordam.

    Para provar que esta passagem é mais um joio no meio do trigo, comecemos pelas bíblias que não contêm este verso: A Bíblia versão brasileira, a Bíblia Almeida corrigida no ano de 1952, e nem a Bíblia versão dos Monges Beneditinos. Este é um ponto alterado, fraudado que entrou no evangelho através de uma tola fraude.

    Se o testemunho dos três no céu fosse verdade, 57 passagens do novo testamento que provam a divindade Dual seriam mentiras. Este acréscimo na bíblia não tem qualquer autoridade, nem mesmo o nome falso "JESUS" que deram ao Cordeiro de Deus. Todos sabemos que o Messias veio de uma nação hebraica, portanto é lógico que o seu Nome nunca poderia ser Jesus, trindade etc.

    Segundo "O Novo Testamento interpretado versículo por versículo", da Sociedade religiosa A VOZ BÍBLICA, essas palavras são espúrias e foram acrescentadas. Essas palavras se fazem ausentes de todas as versões bíblicas antigas, como a sírica, a copta, a Armênia, a etíope, a árabe e a eslavônica. Afirma o texto serem essas palavras espúrias e acrescentadas, e sem nenhum valor sagrado.

    Não se encontram por igual modo no “latim antigo ” e nem nos escritos dos paises latinos. Também não são encontradas nos primeiros manuscritos da Vulgata (541) e posteriormente; e nem no Codex Vercellensis, do século IX D.C., que é uma revisão da vulgata latina. O mais antigo uso dessas palavras, em forma reconhecível como equivalente aquilo que figura no texto desta epistola, aparece em um tratado do século IV, D.C., intitulado “Liber Apologeticus ” no quarto capítulo daquela obra.

    O citado tratado é atribuído ao herege espanhol Prisciliano (falecido em cerca de 385 D.C), ou ao seu seguidor, o bispo Instâncio. Nesse tratado, estas palavras são um comentário sob a passagem de João, que procura orná-la, e que provavelmente se originou da interpretação que os três testemunhos (da água do sangue e do espírito) apontam para a trindade. No século V depois de Cristo, essa glosa explanatória passou a ser citada por diversos paises latinos da Igreja, no norte da África e da Itália, como se fossem parte integrante do texto.

    Do século VI d.C. em diante, tais palavras passaram a figurar regularmente nas versões latinas, mas não em todas; na realidade, tanto que ainda no século XX, encontramos bíblias que não contém o texto. (Mais informações sobre essa fraude ler a nota de rodapé) (7). Ou seja, mais um joio para confundiram aqueles que acreditam em um batismo trinitário não instituído por Cristo e nunca realizado pelos seus apóstolos.


    Outras mudanças de pontos de fé da nossa salvação :

    A Escritura Sagrada, no livro de Daniel 7: 24-26, já prevê a apostasia do homem do pecado que mudará a Lei de Deus. Não só o batismo em nome de Yahúshuah HaMashiach foi mudado, mas outros mandamentos importantes da lei de Deus, que sua negação implica no comprometimento da salvação do homem.

    No ano 321, Constantino mudou a guarda do sábado que é um sinal do povo de Deus guardado pelos apóstolos (Êxodo 20: 8-11, 31: 12-18; Ezequiel 20: 20-24 ; Lucas 4: 16 e 31-32, 23: 55-56; Atos 13: 14-15, 42-44), instituindo a guarda do domingo, que, na verdade, é o primeiro dia da semana, negando assim um dos dez mandamentos do decálogo divino.

    O dia da celebração da Páscoa também foi mudado: A sua comemoração bíblica é no dia 14 de Abibi, que é o primeiro mês do ano no calendário lunar instituído por Deus, celebrado pelos apóstolos (Êxodo 12: 14-17, 24, 13: 3-10; Mateus 26:17-29 ), instituindo no seu lugar a Páscoa no domingo depois da lua cheia do dia 14 de Abibi , sem nenhum fundamento sólido, apenas por questão de uniformização da data.

    Mas, o maior mandamento, sem dúvida alguma, mudado, foi o batismo em nome de Yahúshuah HaMashiach para perdão de pecados, instituindo em seu lugar o batismo em nome da trindade (Pai, Filho e Espírito Santo), ficando desta forma negada também a salvação, Deuteronômio 6: 4-9; Mateus 23: 9-10; Marcos 12: 28-29; João 14: 1, 16: 3, 17: 3; I Coríntios 8: 5-7; I João 1: 1-4). Este é um sinal escrito na testa dos salvos (Apocalipse 14: 1-5).

    Yahúshuah HaMashiach ensinou o batismo com o Espirito Santo, distinto do batismo da água como João ensinou (Mateus 3: 11-12; Marcos 1: 8; Lucas 3: 16; Atos 1: 5, 8: 14-17, 10: 44-48, 19: 2-6). A mudança da Lei de Deus trouxe a maldição sobre a terra, tirando-lhe a paz e a união (Isaías 14: 1-20, 24: 1-7; Romanos 1: 18-25).

    Yahúshuah HaMashiach nos ensinou que só temos união, quando cremos que Yahuh Ul e seu filho Yahúshuah HaMashiach são duas pessoas em união no mesmo Espírito Zacarias 6: 12-13; João 10: 30 17: 20-23; Romanos 12: 5-16; I Coríntios 1: 10; I João 1: 3-4). A união ensinada por Cristo, parte de duas pessoas, e não de uma e nem de três (Gênesis 2: 24-25). Na trindade, não há união: o cristianismo crê na trindade e estão todos divididos.

    Yahúshuah HaMashiach: "Quem comigo não se une, fica espalhado" (Mateus 12: 30-31 ).


    CAPITULO III

    QUAL É O NOME DO PAI, E QUAL O NOME DO FILHO (Provérbios 30:4)

    Os pagãos colocavam em seus deuses o nome de divindades (I Reis 18:20-24; Oséias 2:16-17). Um folheto de nome “Divino”, diz que o nome de Deus é YAHUH UL, e este nome foi dado ao filho gerado com duas naturezas: Divina e Humana.

    O nome de Deus revelado é YAHUH UL no hebraico, o nome do filho é Yahúshuah HaMashiach; o Nome do Pai escrito em consoante no tetagrama sagrado YHWH é mencionado 6.800 vezes e não muda (Êxodo 3: 13-15, 20: 1-3; Salmos 83: 17-18; Jeremias 10: 10-16; Amós 5: 8; Tiago 1: 16-18).

    YAHUH é um ser pessoal, sempre eterno e invisível (Salmos 91: 1-2; Isaías 40: 28-29; Jeremias 10: 10; João 1: 18; Colossenses 1: 15). Só Deus possui a imortalidade em si João 5: 26; I Timóteo 1: 17, 6: 15-16) e dele procede todo o poder e a luz (Romanos 1: 18-21; Tiago 2: 16-17).

    Em tempos remotos, Yahuh Ul estava sozinho e sua sabedoria não se pode esquadrinhar, (Isaías 40: 28; Romanos 11: 33-34), sozinho planejou o mundo em seis dias antes de ele aparecer (Jó 9: 8-10; Salmos 139: 16-17; Isaías 48: 3; Hebreus 11:3).

    O verbo é o princípio do pensamento e da sabedoria de Deus que, pelo seu Espírito, criou seu Filho primogênito e unigênito a sua imagem (Jó 10: 6-8, 33: 4; 38: 4-6 e 21; Provérbios 8: 22-30; João 1: 1-2; I Coríntios 1: 22; Colossenses 1: 15; Apocalipse 3: 14). Depois, pelo Filho, mediante a palavra de Deus, todas as coisas que foram planejadas e, em seis dias, foram criadas (Gênesis 1: 1-30; Salmos 33: 6; João 1: 3 ,10; Colossenses 1: 16-17).

    No plano da criação, vemos uma pessoa (Deus), e no aparecimento da criação, vemos duas pessoas operando (o Pai Criador e o Espírito de sua boca)- (Gênesis 1: 14 , 26, 3: 23; Provérbios 8: 22-30, 30: 4; Isaías 41: 20; Hebreus 1: 2-3). Cristo foi criado à imagem do Deus invisível (II Coríntios 4: 4, Colossenses 1: 15) e o homem foi criado por Cristo a sua imagem.

    Cristo é o primeiro Anjo criado por Yahuh Ul, e é o único mediador e salvador entre Yahuh Ul e o homem (Mateus 23: 8-11; l Timóteo 2: 5). Yahuh Ul o enviou para tirar o povo do Egito (Êxodo 3: 1-12, 14: 19, 20: 1-3, 23: 20-23; Juizes 2: 1-4 ), sendo ele o príncipe do exército de Yahuh Ul (Josué 5: 13-15).

    Cristo é o Anjo da primeira e da nova aliança (Isaías 63: 8-12; Malaquias 3: 1-3) e estava com a Igreja no deserto, continuando com ela na nova aliança (Atos 7: 30-39; I Coríntios 10: 1-10; Marcos 16: 19-20; Atos 9: 3-6; 18: 9-10). Só este anjo que é Cristo, Yahuh Ul chamou-o de seu Filho e jurou por si mesmo a ele que sentaria consigo no trono (Salmos 110: 1-5; Atos 2: 29-36; Hebreus 1: 1-3 e 9 e 13, 6: 16 e 20, 7: 20-21).

    O Filho, Yahúshuah HaMashiach, é chamado por muitos nomes:
    - Siló (Gênesis 49: 10),
    - Estrela da Alva (Números 24:16-17; II Pedro 1: 19; Apocalipse 2: 28,22-16),
    - Emanuul (Isaías 7: 14; Mateus 1: 23),
    - Pai da eternidade (Isaías 9: 6-7);
    - Leão da tribo de Judá (Gênesis 49: 9; Apocalipse 5: 5) e
    - Cristo, Filho do Deus vivo (Mateus 16: 13-17).

    No passado, Seu nome original não foi revelado; quem conhece o nome do Filho é só o Pai e Ele o revela só a quem quer (Mateus 11: 27; João 1-10).
    O nome de Cristo é “Yahúshuah HaMashiach”, que no passado não foi revelado (João 1: 10; Romanos 16: 25; Efésios 3: 4-6). Ele é o príncipe do exército do grande Elohim Yahuh Ul (Josué 5: 13-15), que lutou contra os inimigos do povo de Deus (Isaías 37: 33-38; Salmos 78: 48-49; Daniel 10: 12-13).

    Cristo, por sua morte e ressurreição, venceu Satanás (Hebreus 2: 14-15) e quando subiu ao céu, travou-se uma guerra de Yahúshuah HaMashiach e seus anjos contra Satanás e seus anjos, que foram expulsos para a terra, onde está a besta e os falsos profetas, formando juntos uma trindade, lutando contra Cristo e sua Igreja, aguardando o juízo final (II Pedro 2: 1-4; Judas 1: 3-19; Apocalipse 12: 7-17, 16: 12-14, 20: 1-3 , 9-10).

    Cristo virá ressuscitar justos e injustos (João 5: 28-29, 6: 40-44; Tessalonicenses 4: 13-16) e virá com seu nome original “Yahúshuah HaMashiacha”(Daniel 12: 1-3; Atos 24: 14-15). Na nova aliança, Yaohuh Ul deu um novo nome ao seu Filho: admirável e maravilhoso (Juízes 13: 17-23; Isaías 9: 6-7, 62: 1-5) e este nome é Yahúshuah HaMashiach (Mateus 1: 18-22; Lucas 1: 28-35; Apocalipse 2: 12-13, 3: 12-13). O novo nome do Filho só é revelado a quem Deus quer (Mateus 13: 11-12, 16: 13-19; Romanos 9: 15-16; Gálatas 1: 15-16) e este nome não muda (Hebreus 13: 8-9).

    Este é um dos sinais dos salvos: crer e conhecer o nome Yahuh Ul revelado (Êxodo 14: 15; Salmos 83: 17-18) e o nome de Yahúshuah HaMashiach seu Filho escrito na testa, tendo comunhão com ambos (Zacarias 6: 12-13; João 14: 1-2, 16: 3, 17: 3; I João 1: 2-4; Apocalipse 3: 12, 7: 9-11, 14: 1-5, 22: 3).
    Na criação e na salvação vemos duas pessoas operando (Provérbios 30: 4; Mateus 29: 10; II Coríntios 5: 18-19; I Timóteo 2: 5; Hebreus 1: 1-3).

    A Trindade é doutrina do paganismo que ensinava a crer em um Deus com vários nomes: Baal, Tamuz e Saturno, entre outros, todos adorados como Deus Sol (I Reis 18: 20-24; Ezequiel 8: 13-17; Oséias 2: 17).

    Teófilo, no ano 190 DC., emprega pela primeira vez a palavra Trindade e, no ano de 197, Tertuliano a emprega no batismo com o sinal da cruz. Os Trinitários ensinam que Deus é um espírito eterno e para salvar a humanidade, foi gerado no ventre de Maria com duas naturezas: divina e humana (Hebreus 2: 14-15), sendo o Deus filho. Cristo é o primeiro Filho criado por Deus com corpo celeste e com natureza divina do Pai, e depois o Filho criou o homem justo(Eclesiastes 7: 29).

    Depois do pecado de Adão, os homens nasceram com a natureza do pecado(Gênesis 3: 22, 8: 21; Salmos 41: 1-5, 51: 4-6; Romanos 3: 9-12 ) e portanto condenados à morte (Romanos 6: 23, 8: 12-13). Para salvar o homem, Cristo foi gerado corpo de carne e sangue com natureza divina do Pai (João 10: 30; Colossenses 1: 19-20).

    O homem, para ser salvo, tem que nascer de novo pelo batismo, sendo cada dia regenerado pela palavra adquirindo a natureza divina de Cristo (Mateus 5: 48; João 3: 8; II Coríntios 5: 16-18; Tito 2:11-15, 3: 5-7; I Pedro 1: 22-23; II Pedro 1:3-4), para chegar ao homem Espiritual (I Coríntios 2: 12-16).

    Não podemos servir a Deus com duas naturezas Mateus 6: 24; Romanos 8: 3-16). O Grande Deus Yahuh Ul criou o Filho, que para salvar o homem foi gerado e ungido pelo Espírito Santo (Salmos 2: 6-8, 45: 7; Isaías 61: 1-4; Lucas 1: 30-35, 3: 21-22). Nem antes de ser gerado e nem depois de ungido julgou ser igual ao Pai (Filipenses 2: 5-Cool. Cristo disse que o Pai é maior do que Ele (João 14:28) e todo poder pertence ao Grande Elohim Yahuh Ul que, em seu trono, julga o mundo (Salmos 42: 5-9, 62: 11-17, 93: 2; Isaías 6: 1-2; Romanos 1: 19-20).

    Yahuh Ul jurou a Davi que um de seus descendentes seria ungido e sentaria em seu trono, regendo seu reino (Salmos 2: 6-7, 45: 2-7, 110: 1-3). No dia de Pentecostes, Cristo recebeu o domínio do reino e foi exaltado por todos os seres do universo (Daniel 7: 13-14; João 7: 39; Atos 2: 29-36; Apocalipse 3: 20-21, 5: 7-13).

    Vejamos: se o Grande Elohim Yahuh Ul, no passado, fosse um espírito e viesse a ser gerado com o nome de Deus Filho (Lucas 28: 35), ficaria negado que Yahuh Ul, no passado, não era um ser pessoal e sempre eterno (Salmos 90: 1-2), porque um espírito não tem corpo, mas procede como a sombra do Grande Criador Yahuh Ul (Salmos 91: 1-2; Lucas 1: 35, 24: 36-40). O espírito sem corpo não tem vida (Gênesis 2: 7; Jó 17: 1; Salmos 104: 29; Tiago 2: 26) e não é um ser pessoal.

    Se o Criador Yahuh Ul fosse o Deus Filho, no passado, não julgaria em seu trono como Deus Pai, porque o Filho só sentou no trono junto com o Pai depois da ressurreição (Marcos 16: 19; Atos 2: 29-36, 7: 55-56).

    Outra passagem citada pelos trinitários, negando duas pessoas da divindade, é Isaías 44: 6-7, 48: 12. O Criador Yahuh Ul revela todas as coisas ao Filho e o Filho revela pelo seu espírito aos profetas como mediador entre Deus e o homem (Mateus 11: 27, 23: 9-10; Timóteo 2: 5; I Pedro 2: 11; II Coríntios 13: 3; Apocalipse 1: 12). O Filho não se exaltou a si mesmo, mas disse que o Pai o exaltou e deu-lhe um nome sobre todos os nomes (João 8: 54-55; Atos 2: 31; Efésios 1: 20-21; Filipenses 2: 5-11). Em Isaías 44: 6-7 e 48: 12, o Filho disse: "Assim diz o Adonay Yahuh Ul, que Eu o Filho, sou o primeiro e o último, o primeiro da criação de Deus" (Colossenses 1: 15-17; Apocalipse 1: 8, 2: 8, 3: 14) e o último gerado por Deus.


    Deus só chamou a Cristo de seu Filho (Salmos 2: 7-8; Lucas 1: 30-33; Hebreus 1: 4-6).

    Também apoiam-se os trinitaristas, para negar a divindade como duas pessoas, em I João 5: 7, que diz: "o testemunho de três no céu". Mas este verso não está na Bíblia versão brasileira, é um texto espúrio, introduzido na Bíblia através de uma fraude, como já fundamentado no capítulo II.

    O contexto correto de I João 5 consiste no testemunho que o Pai deu de seu Filho, primeiro na criação, segundo quando foi gerado, terceiro quando foi ungido e quarto quando Cristo representou seu reino, isto se pode afirmar com outras passagens bíblicas (Salmos 2: 7-8, 45:6-7; Isaías 61:1-3; Mateus 3: 16-17; Lucas 1: 30-35; Hebreus 1: 5-6; 17: 1-5; I Pedro 1: 16-19).

    João não conhecia Cristo, mas o espírito do Criador da vida, a fonte inesgotável, vindo em forma de uma pomba como sinal sobre Cristo, testemunhou que Cristo é Seu filho (Mateus 3: 16-17; João 1: 33-34). A água e o sangue que saíram de Cristo quando o soldado o furou é também um testemunho que Cristo é o Filho de Deus que veio com corpo de carne, água e sangue (João 19: 34-35). Se aceitarmos o testemunho Histórico de quem isto viu e relatou, quanto maior é o testemunho que o Criador Yahuh Ul deu de seu filho (v. 9-10).

    Os trinitários citam João 10: 30, 14: 8 e 11, dizendo que o Pai e o Filho são uma só pessoa. Ora, Yahúshuah HaMashiach nunca disse que ele era o Pai, mas, afirmou que estava com o Pai no Céu e foi enviado por Ele, subindo novamente para o Céu junto dele, pois o Pai é maior que o Filho (João 6: 62,14: 12 e 28-29, 16: 28,17: 24-26, 20: 17). Se aqui há referência a uma só pessoa na divindade, em João 17: 20-23; Gálatas 3: 17-29, a igreja seria uma só pessoa?

    Antes de Yahúshua expirar, disse: "Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste?" (Salmos 22: 1; Mateus 27: 46). "Nas tuas mãos entrego o meu espírito (Lucas 23: 45); só o Pai tem a imortalidade em si (João 5: 26; I Timóteo 1: 17, 6: 16 ).

    Se Yahúshua morreu como Deus Filho, fica negada a imortalidade do Pai e rebaixada sua soberania menor do que a dos anjos (Hebreus 2: 7-9). Se o Pai é o Deus Filho, por que não saberia o dia de sua própria vinda? Na verdade, Cristo disse que só o Pai o sabe (Mateus 24: 36).

    EM RESUMO: O Pai, Yahuh Ul, é distinto do Filho, Yahúshuah HaMashiach.

    Yahuh Ul é o único Deus sempre eterno (Deuteronômio 32: 39-41; Salmos 91: 1-2; Isaías 40: 28-29; Jeremias 10: 10; Mateus 23: 9; Marcos 12: 28-29; João 17: 3), só Ele possui a imortalidade em si (João 5: 26; I Timóteo 1: 17, 6: 15-16). Quem conhece o Pai é só o Filho, porque estava com ele desde a fundação do mundo (Provérbios 8: 22-35; Mateus 11: 27; João 1: 1-2 e 18, 6: 46, 17: 5 , 24; Colossenses 1: 15-16; Apocalipse 1: 8 e 28, 3: 14).

    Cristo é chamado o Deus Eterno, por ser o princípio da criação de Deus (Salmos 45: 6-7, Hebreus 1: 8-9). Cristo recebeu a imortalidade em si mesmo depois da ressurreição dada pelo Pai (João 5: 26) e vive pelo poder do Pai, pois o Pai é maior do que ele (João 14: 28; II Coríntios 13: 3-4); portanto, o Filho não se julgou a ser igual ao Pai.

    Yahuh Ul tem a primazia do poder sobre todas as coisas, operando pelo seu Espírito em Cristo (Salmo 62: 11-12; Romanos 1: 20-21; I Coríntios 12: 5-11) e dando todo o poder ao seu Filho (Apocalipse 5: 13). Já Cristo tem a primazia de seu nome dada pelo Pai sobre todas as coisas (Atos 4: 11-12; Efésios 1: 19-21; Filipenses 2: 9-11; Colossenses 1: 18, 3: 17).

    Na trindade, não há perdão de pecados. Veja bem:
    Pelo batismo em nome de Yahúshuah HaMashiach, somos sepultados e ressuscitados com Ele na semelhança de sua morte e ressurreição para perdão de pecados (Atos 2: 37-38; Romanos 6: 3-10).

    Na primeira e na nova aliança, os pecados cometidos contra Cristo, o Filho, são perdoados (I Samuel 2: 25; Mateus 12: 31-32; I Coríntios 8: 11-12), mas o pecado contra o Espírito Santo refere-se a pecados cometidos contra o Grande Criador Yaohuh Ul; estes não tem perdão.

    Existem três espécies de pecados contra o Pai Yahuh:
    1- Blasfemar (Levítico 24: 10-16; Números 15: 30; Mateus 12: 31-32);
    2- Desmentir a palavra falada pelo Seu Espírito Santo (Jeremias 28: 1-17) e
    3- Mentir contra o Espírito Santo (Atos 5: 1-9).

    Cristo não intercede por estes pecados (II Samuel 2: 24-26; Marcos 3: 28-29; Hebreus 10: 26-30; I João 5: 15-16). Se Cristo intercedesse pelo pecado contra o Espírito Santo, o Pai seria humilhado perante o Filho, pois o Filho é menor do que o Pai. Por outro lado, se a trindade, Pai, Filho e Espírito Santo é uma mesma pessoa, o pecado contra o filho não teria perdão!

    O Eterno Yahuh é eternamente o Pai e não muda (Salmos 91: 1-2; Malaquias 3: 6; Tiago 1: 17-18) e Cristo é o Filho eternamente criado pelo Pai, fazendo a vontade do Pai (Lucas 22: 41; João 5: 30; 6: 38; 8: 39; Hebreus 13: Cool. Cristo recebeu do Pai o reino até destruir a morte e, no fim do juízo, entregará o reino ao Pai e ambos reinarão para sempre (Salmos 110: 1-4; Zacarias 6: 12-13; Lucas 1: 33; I Coríntios 15: 25-28; Apocalipse 22: 3-5), e o Filho estará sujeito ao Pai.

    O nome do Criador Yahuh Ul e o nome de Yahúshuah HaMashiach, seu filho, é um sinal escrito na mente dos salvos (Apocalipse 7: 1-10, 14: 1-5), que não foram enganados pelo sinal do Anti Cristo, negando o Pai e negando o Filho (I João 2: 21-25).

    Amigo Leitor, procure a verdade e esta te libertará. A Bíblia é uma nova a cada manhã!

    Estudos concluídos em 1999/ acerto com outras fontes históricas em 2002 e reedificado em 2.010 por Fco da Costa Oliveira da CCB.

    Igreja Remanescente Dualista dos Primogênitos

    Pastor José Leitão Duarte Filho
    Rua Barão do Rio Branco, 530 Urupês /SP.
    Telefone: 17 35521573

    _______________________________________________

    Notas explicativas:

    (1) ROMAG, Dagoberto. Antiguidade Cristã Compêndio da História da Igreja. Essência do Catolicismo, vol. 1 2ºed. .Rio de Janeiro- Petrópolis: Vozes. pg .90/3 e 143/5.

    (2) Id.

    (3) Dicionário Prático Ilustrado. São Paulo, Lello & Irmãos-Editores, 1957. pg. 1908.

    (4) ROMAG, Dagoberto. Antiguidade Cristã Compêndio da História da Igreja. Essência do Catolicismo, vol. 1 2º ed.. Rio de Janeiro- Petrópolis: Vozes. p. 173 - 190/3.

    (5) Ibid., p. 165/6.

    (6) KNIGHT, A. E ; ANGLIN, W. História do Cristianismo: História da Inquisição . São Paulo: Antônio José Saraiva, publicações Europa Portuguesa América 3.. ed. p.192-210. S/ ano de publicação.

    (7) CHAMPLIN, Norman Russell P.h. D. O Novo Testamento Interpretado Versículo Por Versículo. Volume VI .São Paulo Sociedade Religiosa A Voz Bíblica brasileira .Industria Gráfica Editora S A p. 293 sem data de publicação.
    .As palavras de I João 5.8 “ .. no céu.;... O Pai, ....a palavra e o Espírito Santo; e estes três são os que testificam na terra....” são espúrias, não tendo o direito de figurarem no novo testamento. Aqueles que a aceitam como genuínas certamente ignoram todos os princípios da crítica textual.

    Exercendo um apego fanático as palavras que provavelmente se originaram de mera anotação escribal, em alguns manuscritos latinos. Trata-se de uma grosa escribal, e não de palavras legítimas do Novo Testamento. Ninguém teria pensado reter essas palavras em face de tão fraca evidencia textual nos manuscritos antigos, se não contivessem uma mas mais claras declarações trinitárias do Novo Testamento.

    Mas o zelo da retenção de tão clara declaração é que tem explicado a ridícula defesa dessas palavras no texto sagrado. Sua inserção eqüivale ao manuseio enganador da palavra de Deus, pois a evidência textual em favor de sua omissão é irresistível e incontroversa. (..... ) Conta a história que antes da invenção da imprensa, tais palavras não apareciam em qualquer manuscrito grego.

    Quando Erasmo compilou o “ Textus Receputus “ deixou tais palavras do lado, porquanto não havia qualquer evidência em favor das mesmas no original grego. Erasmo foi criticado por isso, e prometeu que se alguém encontrasse pelo menos um manuscrito grego que contivesse tais palavras, ele as incluiria no seu texto grego. Ato contínuo, seus críticos lhe apresentaram um manuscrito grego que continha orientações ao escriba, dizendo que essas palavras deveriam ser incluídas.

    Então triunfalmente exigiram de Erasmo que ele cumprisse sua tola promessa. Tais palavras, pois penetraram no “ Textus Recepitus ” através de uma “ fraude ”, através de uma desonestidade. E algumas pessoas hoje em dia, sem conhecimento do original grego ou estudos textuais, continuam propalando essa fraude.
    WALKER,Williston. Trad. D.Glenio Vergara dos Santos e N..Durval da Silvau .Historia da Igreja.

    Fonte: http://www.igrejaremanescentedualista.com.br/php/index.php?ir=estudosdet.php&Estudos_Id=6 Este estudo eu colei desta igreja, porque achei que tem credibilidade e confere com o conteúdo bíblico, tendo permissão dos fundadores. Deus seja louvado.


    Última edição por Administrador em Ter Fev 10, 2015 5:21 pm, editado 3 vez(es)
    avatar
    Fco Oliveira
    Admin

    Mensagens : 1364
    Reputação : -1
    Data de inscrição : 13/07/2009
    Idade : 55
    Localização : Catanduva São Paulo

    http://gideoes-ccb.forumeiros.com

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: O Batismo Apostólico não é na Quaternidade da CCB!

    Mensagem por Fco Oliveira em Dom Set 20, 2009 11:06 pm



    Nobres irmãos da CCB a paz esteja convosco, aqui neste tópico existe provas suficiente para fechar as portas de todos os batismo efetuados na SS. Trindade, SE os nossos líderes NÃO estivessem cegos com o veneno deste deus trino deste século como nos explicou o apóstolo Paulo II Cor. 4;4 nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.

    Se o ministério da CCB e das demais denominações estivessem com os olhos abertos, sem o véu da incredulidade que Satanás colocou em todos com essa tal da SS. Trindade, eles veriam que neste estudo aqui, tem provas concretas para tirar qualquer dúvida sobre essa doutrina do Diabo, que entrou no meio da igreja de Cristo para ROUBAR salvação dos simples e incautos.

    Nestes dois últimos tópicos que eu postei aqui, são suficiente para derrubar o castelo de Satanás, mais o que acontece é que ele não vai se render facilmente, ele vai usar de todos os meios se possível for, vai usar até os escolhidos de Deus, homens justos e tementes a Deus como o nosso querido irmão Isaías, para defender essa doutrina maldita, para que Satanás continue roubando a salvação das pessoas.

    Todos aqueles que pensam que veio para a CCB ou AD, IASD etc pensam que se livraram do inferno; no entanto foram batizados na trindade, foram assinalado com o sinal da besta pelos os homens que se dizem SERVOS DO DEUS VIVO, no entanto são todos escravos de Satanás, trabalhando para ele.

    Satanás se tornou crente para roubar as almas dos crentes e ninguém está vendo isto! Como é que ele iria conseguir enganar os crentes, Se não se fizesse de crente? Como disse um certo irmão da CCB: Satanás hoje tem ministério e o de mais graduado escalão: ancião presidente, Pastor presidente e diretor de denominação... Por quê?

    Isto aqui é a mais pura realidade irmãos: II Cor. 4;4 nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. Satanás sabe, que, se ele não usar dos líderes das denominações, o seu dogma será escumungado de dentro das igrejas e isto o impossibilitaria de continuar assinalando pessoas para o juízo final;

    Ele é esperto, foi sentar logo no trono das denominações e dali nem Deus vai importuna-lo, porque já está escrito que ele vai se assentar nos lugares SANTOS nas lideranças das igrejas, parecendo um deus, querendo SER deus e adorados por todos! De que jeito ele ia conseguir isto?

    Usando a própria palavra de Deus, como ele sempre usou! Vejam na tentação de Yahúshua o Cristo que ele usou a bíblia sagrada para tentar roubar a glória do Adonay Yahúshua e não iria usar hoje para enganar estes pecadores que vivem por ai cegos por um cargo, poder ou uma posição social elevada? Claro que sim!

    Hoje temos a verdade do evangelho nas telas de todos os meios de comunicações e ninguém ver, porque? Estão cegos com este dogma da Trindade e só há uma saida: batizar todos os evangélicos No Nome verdadeiro do Mashiach Yahúshua HaMashiach, só assim, derrubaremos o castelo de Satanás!

    Do contrário, nem Deus pode dar jeito nesta igreja de hoje, estão todos fadados a enfrentar o juízo final, longe das bodas de Cristo. Ohhhh! Adonay Yahuh Ul, tenha compaixão das nossas almas, salva-nos ohh Deus por amor do Sangue do Adonay Yahúshua HaMashiach, amem? Deus seja louvado.


    Última edição por Administrador em Ter Fev 10, 2015 5:26 pm, editado 2 vez(es)
    avatar
    Fco Oliveira
    Admin

    Mensagens : 1364
    Reputação : -1
    Data de inscrição : 13/07/2009
    Idade : 55
    Localização : Catanduva São Paulo

    http://gideoes-ccb.forumeiros.com

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: O Batismo Apostólico não é na Quaternidade da CCB!

    Mensagem por Fco Oliveira em Seg Out 19, 2009 11:03 am



    Nobres irmãos a paz esteja convosco, esta é a luz que estava faltando caros irmãos, pois é exatamente essa a doutrina pregada na CCB: Deus que é o manancial da vida e a própria vida que foi manifestada na pessoa de Yahúshua o Cristo, pois Cristo é a vida! Como foi escrito pelo o discípulo do amor:

    I Jo. 1.1 Estamos escrevendo a vocês a respeito da Palavra da vida, que existiu desde a criação do mundo. Nós a ouvimos e com os nossos próprios olhos a vimos. De fato, nós a vimos, e as nossas mãos tocaram nela. Ou seja: os discípulos viram, tocaram e abraçaram a vida que estava no homem de Nazaret, Yahúshua HaMashiach o Nazareno!

    I Jo. 1.2 Quando essa vida apareceu, nós a vimos. É por isso que agora falamos dela e anunciamos a vocês a vida eterna que estava com o Pai Yahuh Ul e que nos foi revelada. Na revelação da vida na pessoa humana do Filho de Deus, é que foi estipulado a doutrina central da bíblia, que é a Dualidade da manifestação de Deus aos homens, pois os homens viram a vida, tocaram nela e a abraçaram!

    O nosso trabalho aqui e em todos os outros sites nobres irmãos, é justamente essa: fazer com que o nosso ministério veja essa verdade, a glória do evangelho de Cristo Yahúshua sem os dogmas humanos, do jeito que o caro irmão citou acima, entendemos irmãos?
    Eu e muitos irmãos que congregamos na CCB estamos anciosas para sermos batizados no nome da vida, que é: Yahúshua HaMashiach!

    Nós queremos ser batizados no nome do Filho de Deus que é: ADONAY YAHÚSHUA HAMASHIACH! Nós temos essa direito e o Brás não pode nos impedir de sermos batizados de acordo com a palavra de Deus, que é: no Nome do ADONAY YAHÚSHUA HAMASHIACH!!

    Ninguém pode nos proibir de cumprirmos a palavra de Deus e sermos todos batizados no Nome do Cordeiro de Deus! Que Deus o Grande Espírito Santo a fonte da vida, nos conceda essa dádiva do Céu, fazendo com que o nosso ministério enchergue essa verdade da glória do evangelho de Cristo e nos batizem de acordo com a palavra de Deus, No Nome do ADONAY YAHÚSHUA HAMASHIACH!, amém? Deus seja louvado.


    Última edição por Administrador em Ter Fev 10, 2015 5:29 pm, editado 2 vez(es)
    avatar
    Fco Oliveira
    Admin

    Mensagens : 1364
    Reputação : -1
    Data de inscrição : 13/07/2009
    Idade : 55
    Localização : Catanduva São Paulo

    http://gideoes-ccb.forumeiros.com

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: O Batismo Apostólico não é na Quaternidade da CCB!

    Mensagem por Fco Oliveira em Seg Out 26, 2009 5:20 pm


    Quanto ao Batismo:

    postado originalmente por  Khristos o Sex Out 23, 2009 9:12 pm

    Igreja Metodista:
    Artigo Décimo Sétimo: Do batismo O batismo não é somente um sinal de profissão de fé e marca de diferenciação que distingue os cristãos dos que não são batizados, mas é, também, um sinal de regeneração, ou de novo nascimento. O batismo de crianças deve ser conservado na Igreja.
    Menção litúrgica: “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”; e em terceiro, a água, não importando a quantidade.

    Por que a Igreja Metodista Batiza por aspersão?
    Vejamos alguns textos que nos falam de aspersão:

    • Ez 36. 24-27: o texto nos diz que Deus iria aspergir água sobre o sedento, purificando-o dos seus pecados e fazendo com ele uma nova aliança. Neste texto estão presentes os dois batismos: o Batismo com água e no Espírito Santo;

    • I Pe 3. 20-21: Pedro fala do dilúvio como símbolo do Batismo. O Dilúvio foi uma grande chuva que caiu sobre a terra (Gn 7. 12). Chuvas são gotas de água que caem, símbolo de aspersão;

    Igreja Batista:
    Ponto 9 – (se refere a dois sacramentos, batismo e santa ceia, constará apenas a ideia do batismo) O batismo consiste na imersão do crente em água, após sua pública profissão de fé em Yahúshua o Cristo como Salvador único, suficiente e pessoal.

    2 Simboliza a morte e sepultamento do velho homem e a ressurreição para uma nova vida em identificação com a morte, sepultamento e ressurreição do ADONAY YAHÚSHUA HAMASHIACH! e também prenúncio da ressurreição dos remidos.

    3 O batismo, que é condição para ser membro de uma igreja, deve ser ministrado sob a invocação do nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

    Igreja Adventista do Sétimo Dia:
    Doutrina 15 – 15. O Batismo - Pelo batismo confessamos nossa fé na morte e na ressurreição de Yahúshua e atestamos nossa morte para o pecado e nosso propósito de andar em novidade de vida, sendo aceitos como membros por Sua Igreja. É por imersão na água e segue-se à instrução nas Escrituras Sagradas e à aceitação de seus ensinos. (Mat. 3:13-16; 28:19 e 20; Atos 2:38; 16:30-33; 22:16; Rom. 6:1-6; Gál. 3:27; I Cor. 12:13; Col. 2:12 e 13; I Pedro 3:21).

    Congregação Cristã no Brasil:
    Ponto 6 - 06 – Nós cremos no batismo na água, com uma só imersão, em Nome de Yahúshua HaMashiach (Atos, 2:38) e em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. (Mat., 28:18,19).

    Aqui temos a maior prova viva da presença do joio no meio da noiva de Cristo, em todas as denominações ele está, é como uma parasita e Satanás foi esperto, usou ela justamente no lugar mais sublime: o santo batismo! Na hora do cristão nascer, ele já é assinalado com o sinal dele e os ministros de Deus, infelizmente estão cegos, surdos e mudo, para não ver, ouvir e nem entender que a igreja de Cristo está enferma com esta parasita.

    No batismo da trindade não existe perdão de pecados, porque está escrito: somente no Nome do ADONAY YAHÚSHUA HAMASHIACH! é que existe perdão de pecados Atos 2;38, só se nasce de novo se for no Nome do Salvador e não nos títulos pai, filho e espírito santo! Quem foi batizado na trindade, continua com os seus pecados e não nasceu de novo para servir a Deus em novidade de vida. Entendemos irmãos? Deus seja louvado.
    avatar
    Fco Oliveira
    Admin

    Mensagens : 1364
    Reputação : -1
    Data de inscrição : 13/07/2009
    Idade : 55
    Localização : Catanduva São Paulo

    http://gideoes-ccb.forumeiros.com

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: O Batismo Apostólico não é na Quaternidade da CCB!

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Conteúdo patrocinado


    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

    - Tópicos similares

     
    Permissão deste fórum:
    Você não pode responder aos tópicos neste fórum