Gideões da CCB Livre de Religião.
Buscar
 
 

Resultados por:
 

 


Rechercher Busca avançada

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Agosto 2017
SegTerQuaQuiSexSabDom
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031   

Calendário Calendário

Estatísticas
Temos 1257 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de sendovisto

Os nossos membros postaram um total de 1741 mensagens em 564 assuntos
Anuncios

    Não há anúncios disponíveis.


    Porque os Hebreus/Judeus não Aceitam Yeshua/Jesus Cristo Como Seu Messias?

    Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

    Porque os Hebreus/Judeus não Aceitam Yeshua/Jesus Cristo Como Seu Messias?

    Mensagem por Fco Oliveira em Sab Jun 18, 2011 3:40 pm



    PORQUE OS JUDEUS NÃO ACEITAM JESUS CRISTO COMO SEU SALVADOR? PORQUE O MESSIAS DESCRITO NAS PROFECIAS DO TANA'CH AINDA NÃO VEIO E O MESSIAS QUE ESTÁ AI NO CORAÇÃO DO POVO, É UM IMPOSTOR!

    http://www.bibliaonline.com.br/acf

    http://www.youtube.com/v/TwREDVQIz8w

    A polêmica em torno do NOME DO SALVADOR DO MUNDO, ao contrário do que alguns possam imaginar, se mostrou muito útil e produtiva nos dando a oportunidade de refletir a respeito daquilo que cremos, serviu para nos trazer muitas informações das quais antes não tínhamos a mínima noção.

    Parece que Deus tem os seus meios de AVIVAR A SUA OBRA ao longo dos anos Habacuque 3:2.
    Uma coisa ficou patente, diante de nós, é que há afirmações distintas e independentes em ambas religiões, Cristianismo e Judaísmo, acerca de um mesmo tema, como por exemplo no caso do Messias e do Messianismo.

    Quando se afirma o Messias veio ou já veio- esta é uma afirmação da religião cristã e só dela.
    Ao contrário do que ocorre no Cristianismo, o Messias dos judaísmo virá uma única vez e de forma definitiva. As evidências comprobatórias da sua vinda será a série de mudanças e transformações previstas pelas Escrituras que deverão ocorrer sobre a Terra.

    Como podemos ver, nada aqui tem mudado ou se transformado para melhor; o que temos visto é o aumento da violência, corrupção, injustiça, miséria, pestes, doenças, guerras, ódio, cataclismas etc.
    O Messias dos judeus virá no tempo apropriado trazendo consigo o reino messiânico. Não pode haver Messias fora da era messiânica.

    O Messias judeu prometido nas escrituras não possui as mesmas premissas do Messias dos cristãos. Ele não virá para morrer por alguém, salvar ou perdoar pecados, não é esse o seu papel ou função. Não existe o dogma da mediação ou da intercessão no judaísmo; coisa que o Messias do Novo Testamento se propõe a fazer pelos homens - João 14:6.

    O Messias dos judeus não é um DEUS ou um SEMI-DEUS nascido de uma virgem, à semelhança dos deuses pagãos; será um personagem igual a seus irmãos em termos de humanidade.
    O Messias dos judeus ou do TANA'CH, deve ser descendente de Davi.

    O Messias descrito no Novo Testamento da bíblia dos cristãos não tem linhagem ou descendência em Davi, por não ser filho BIOLÓGICO de José - Lucas 1:30-35; Mateus 1:18-20. José é chamado textualmente de "filho de Davi" - Mateus 1:20; Lucas 1:27; Lucas 2:4-5. Mas o Messias do Novo Testamento não foi gerado por José - Mateus 1:18-20.

    Maria, sua mãe, pertencia a uma outra linhagem, não sendo ela descendente de Davi. Maria era parenta de Isabel - Lucas 1:36 - Isabel era descendente de Arão - Lucas 1:5 (tribo de Levi, não de Judá)
    Mateus 1:11-12 INCLUI Jeconias entre os ancestrais de Jesus, isto impede o Messias do Novo Testamento cristão de pleitear o trono de Davi, uma vez que os descendentes de Jeconias foram impedidos por determinação divina de serem reis em Judá - Jeremias 22:24-30.

    A responsabilidade é pessoal, as Escrituras estão diante de nós. Cabe a cada qual escolher em que verdade querer acreditar. Você tem dois Messias distintos entre si. Escolha o seu!!!

    Édis B. Lacerda - B. H. (M. G.) - 09/06/2011.


    Última edição por Gideão da CCB Livre em Ter Jun 24, 2014 11:05 am, editado 4 vez(es)
    avatar
    Fco Oliveira
    Admin

    Mensagens : 1360
    Reputação : -1
    Data de inscrição : 13/07/2009
    Idade : 55
    Localização : Catanduva São Paulo

    http://gideoes-ccb.forumeiros.com

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: Porque os Hebreus/Judeus não Aceitam Yeshua/Jesus Cristo Como Seu Messias?

    Mensagem por Fco Oliveira em Sab Jun 18, 2011 4:02 pm



    O MESSIAS DESCRITO NO TANA'CH, SÓ VIRAR UMA ÚNICA VEZ E COM ELE A SALVAÇÃO DO MUNDO, O FIM DA MISÉRIA DO PLANETA TERRA, O FIM DE TODAS AS DORES E TAMBÉM O FIM DO PODER DO MAL!

    Me admira muito, conseguirmos enxergar perfeitamente os ditames de uma religião, enquanto que nos passa desapercebida, O RUMO, A DIREÇÃO APONTADA, por Deus nas Sagradas Escrituras!!! Já faz séculos que nos foi apontado o verdadeiro rumo, a verdadeira direção, está diante dos nossos olhos, dentro da mesma Bíblia corrompida por estes monges satanistas, que estamos acostumados a folhear, a examinar!!!

    Não em código, não por parábola, não envolta em mistério (como que necessitando de revelação divina). Mas de forma direta e clara e em nosso próprio idioma. De que outra melhor maneira Deus poderia nos revelar??!!

    O nosso maior problema é a viseira que o sistema religioso nos colocou nos olhos, dificultando enxergar como precioso aquilo que é precioso para Deus;

    Desprezando o verdadeiro caminho, o referencial da direção apontado por Deus.
    Veja como é simples, é somente aceitar a sua palavra, aqui está a direção o rumo:
    Romanos 3:1-2; Salmos 147:19-20; Isaías 44:1,2,6,7,8; Evangelho Segundo João 4:22; Zacarias 8:20-23; Miquéias 4:1-2.

    Mas há um detalhe muito importante: só será possível ENXERGAR, se deixarmos o nosso orgulho de lado, admitindo que fomos de fato enganados e ludibriados pelo falso sistema religioso.

    SÃO INÚMEROS OS DEPOIMENTOS DOS POVOS JUDEUS, DIZENDO QUE O MESSIAS AINDA NÃO VEIO, SEGUNDO ESTES DEPOIMENTOS, PROVAMOS COM FATOS HISTÓRICOS, QUE REALMENTE O YESHUA QUE VEIO É UM IMPOSTOR:

    http://sefarad-vix.webnode.pt/a13-principios-da-fe-judaica/
    12- Eu acredito com fé completa na vinda de Mashiach (Messias) e ainda que tarde, mesmo assim esmerá-lo-ei. (Veja no site: O messias já veio ou virá).

    A ORIGEM DO NASCIMENTO DE YESHUA.

    Bem sei que a crença predominante, no cristianismo, é de que Yeshua teve um nascimento miraculoso, e que nasceu de uma virgem chamada Maria.

    De acordo com descoberta arqueológica na biblioteca do convento de Santa Catarina, foram encontrados os manuscritos do evangelho de Mateus, conhecido como Sírio Sinaítico.

    As maiores autoridades em arqueologia atestam ser um texto original que deve pertencer ao segundo século (Bíblia de Jerusalém – Ed. Vozes. Comentário do 1° capítulo do Ev de Mateus).

    Com esta descoberta, é possível ler que José marido de Maria é o pai biológico de Yeshua.   Esta descoberta desmonta a crença cardeal do cristianismo. Traz luz para muitos e dá a entender no texto de Isaias 7;14 que a mulher aí anunciada não era Maria e nem uma virgem. A final a promessa de Gênesis 3;15, é que o descendente é filho de mulher.

    O evangelho de Mateus em Siríaco chama a atenção ao fato de que o nascimento virginal é uma montagem feita com a finalidade de mostrar um avatar (gerado por um espírito), como nas religiões pagãs. Este evangelho de Mateus mostra que o verdadeiro pai de Yeshua é José, descendente do rei David.

    Contudo ser descendente do rei David não é suficiente para ser o Mashiach, pois precisa também cumprir o que está escrito nas profecias ou tana'ch. Bem sabemos que David era descendente da tribo de Judá, e que um descendente seu se levantará com a missão de restabelecer o reino a Israel. E isso não aconteceu até hoje.

    Outra descoberta arqueológica no ano de 1947, nas grutas de Qumram, localizada as margens do Mar Morto, onde diversos manuscritos foram deixados por judeus que lá viveram em época bem distante.

    Estes pergaminhos foram conservados dentro de talhas de cerâmica até esta data. Conferindo as descobertas com o atual texto viu-se que há diferença no capítulo 7 e verso 14 de Isaías.

    O manuscrito encontrado nos diz da seguinte forma: “... eis que a moça grávida dará a luz a um filho...”. Hoje temos traduções que estão corrigidas e voltando a sua forma original, conforme está escrito no original hebraico.

    O conceito do “nascimento virginal” é para o que está acostumado a ler a Bíblia baseada na “versão dos setenta” (a Septuaginta maldita), que para os judeus é considerada o 2º bezerro de ouro, que foi a grande causa da idolatria para o mundo. Deixaram o Criador para adorar a criatura.

    De acordo com a história, Yeshua não foi o primeiro a nascer de uma virgem. Por certo há  pessoas que não sabem disto, ou não estão preocupadas de verdade com o seu modo de crer. Veremos a seguir alguns casos relatados na mitologia, de pessoas que supostamente nasceram de forma miraculosa.

    FONTE: http://sefarad-vix.webnode.pt/o-messias-ja-veio-ou-vira/

    As escrituras judaicas mais sagradas são o Torah. Escrito sempre em hebraico, este texto corresponde basicamente, apesar de algumas diferenças, ao Velho Testamento dos cristãos.

    A crença judaica, da qual praticamente toda a doutrina cristã se originou, afirma que quando a humanidade estiver pronta, Deus enviará o Messias ao mundo, para salvar a todos os homens.

    Quando este dia chegar, todos os que vivem e que já viveram retornarão ao mundo dos vivos, e este será um mundo perfeito, como Deus o havia imaginado antes do Homem ter-lhe desobedecido no Jardim do Éden.

    fonte: http://www.pasargada-darkages.kit.net/feh-judaismo.htm


    Última edição por Gideão da CCB Livre em Ter Jun 24, 2014 10:36 am, editado 2 vez(es)
    avatar
    Fco Oliveira
    Admin

    Mensagens : 1360
    Reputação : -1
    Data de inscrição : 13/07/2009
    Idade : 55
    Localização : Catanduva São Paulo

    http://gideoes-ccb.forumeiros.com

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: Porque os Hebreus/Judeus não Aceitam Yeshua/Jesus Cristo Como Seu Messias?

    Mensagem por Fco Oliveira em Sab Jun 18, 2011 7:26 pm



    O MESSIAS DESCRITO NO TANA'CH, SÓ VIRAR UMA ÚNICA VEZ E COM ELE A SALVAÇÃO DO MUNDO, O FIM DA MISÉRIA DO PLANETA TERRA, O FIM DE TODAS AS DORES E TAMBÉM O FIM DO PODER DO MAL!

    Tenho aqui textos que jugo ser mais significativos e espero que sejam examinados com muito cuidado pelos que amam a verdade. Não se sabe ao certo se Yeshua cometeu tantos erros, como veremos a seguir, ou se foram os seus seguidores que alteraram os escritos. Sabemos com certeza que ele era um homem judeu.

    A profecia sagrada escrita desde o livro de Gênesis até ao livro de Malaquias, referem à vinda do messias (Hebraico Mashiach) e tem sido algo de constante discórdia de interpretação entre o judaísmo e cristianismo.

    Lembro de antemão que homens que não tem compromisso com seitas podem parar para refletir acerca do assunto, que jugo muito importante, e que pode ser uma porta aberta para novos conhecimentos.

    Todo homem tem consigo uma convicção até mesmo o ateu. O importante não é apenas ser sincero, porque a sinceridade deve estar acompanhada de coerência e compreensão. A sinceridade sem o verdadeiro conhecimento torna-se cegueira ou fanatismo.

    O gentio (heb. Gói-que quer dizer cachorro) vem de um berço pagão, acostumado com a interpretação deturpada que lhe foi passada e é por este motivo que abordamos este tema acerca do Mashiach se já veio ou se ainda virá.

    Os Textos bíblicos isolados e fora do contexto tem levado muitos a adoração ou veneração a Yeshua, como se o Mashiach fosse o próprio Deus. Este assunto eu reconheço que é polemico e que os homens tapam a boca com medo de blasfemar sem ao menos quere ouvir acerca do assunto.

    O que na verdade demonstra cegueira espiritual, pois o Eterno deu ao homem liberdade de pensar e escolher. Isto é liberdade de consciência. Não deixe que lhe tomem este direito! (Provérbios 28:26).

    A FUNÇÃO DO MASHIACH:

    Segundo a crença judaica que é baseada nos profetas (que se chama tana'ch), o Mashiach (ou Ungido) não é um ser sobre humano vindo do céu. O mesmo virá da descendência de Judá (Números 24:17-19) e será uma pessoa que realizara a libertação ou redenção política e espiritual do povo judeu na terra, dada por herança a Abraão e a sua semente, quando Jerusalém será restaurada à sua glória.

    O Mashiach iniciará uma era de perfeição moral de toda a humanidade e trará a coexistência harmoniosa de todos os povos, livres de guerra, medo e ódio (Isaias 11; Miquéias 5:4).

    O PLANO DE DEUS PARA A SALVAÇÃO:

    “E porei inimizade entre ti e a mulher e entre a tua descendência e a sua descendência. Esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar” (Genesis 3:15). Quem será este homem? - Este assunto será explicado e de forma que possivelmente você ainda não conheça.

    Com a queda do homem, Deus procurou restabelecê-lo e mostrou que um descendente da mulher (não da virgem) haverá de ser o responsável pelo resgate.
    A crença em mensageiro vindo do céu, nascido de virgem é uma fabula, que é a crença em avatar, homem semideus, nascido de virgem.

    Este não será o caso do Messias judaico descrito pela escritura sagrada. Passou mais de 2000 anos desde a criação, até que Deus escolhesse um descendente da mulher e lhe fez uma promessa tão grande, que não se encontra outra igual (Genesis 12:2-3) e este homem é Abraão.

    A quem Deus fez um pacto perpétuo. Este pacto não era apenas para que fosse uma nação diferente, mas sim que fosse uma benção e deste modo abençoar todas as famílias da terra que se adentrar ao pacto “... em ti (Abraão) e na tua descendência (Israel) serão abençoadas todas as famílias da terra” (Genesis 28:14; 22:17-18).

    O pacto não foi feito por tempo provisório ou por alguns anos, como se fosse um pacto com defeito. O próprio Deus diz: “... a minha aliança estará em vossa carne e será aliança perpetua” (Genesis 17:13). Esta aliança com Abraão trouxe salvação a todas as nações, você sabia? A salvação não é exclusiva a Abraão, ela se estende aos filhos e servos que aceitarem o mesmo pacto.

    CONTINUA:


    Última edição por Gideão da CCB Livre em Ter Jun 24, 2014 10:39 am, editado 1 vez(es)
    avatar
    Fco Oliveira
    Admin

    Mensagens : 1360
    Reputação : -1
    Data de inscrição : 13/07/2009
    Idade : 55
    Localização : Catanduva São Paulo

    http://gideoes-ccb.forumeiros.com

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: Porque os Hebreus/Judeus não Aceitam Yeshua/Jesus Cristo Como Seu Messias?

    Mensagem por Fco Oliveira em Sab Jun 18, 2011 7:59 pm



    O MESSIAS DESCRITO NO TANA'CH, SÓ VIRAR UMA ÚNICA VEZ E COM ELE A SALVAÇÃO DO MUNDO, O FIM DA MISÉRIA DO PLANETA TERRA, O FIM DE TODAS AS DORES E TAMBÉM O FIM DO PODER DO MAL!

    “Quanto a Mim, será contigo a minha aliança; serás pai de numerosas nações” disse Yahuh dos Exércitos (Genesis 17:4-12). Segundo as escrituras o homem só pode chamar o Deus de Israel de meu Deus quando aceitar o pacto que Deus fez com Abraão, e isto porque está escrito: “Estabelecerei a minha aliança entre Mim e ti e a tua descendência no decurso das suas gerações, aliança perpétua para ser o teu Deus e da tua descendência” (Genesis 17:7).

    COMO TORNAR-SE FILHO DE DEUS


    Esta é a pergunta mais importante que o homem possa fazer, apesar de uma grande maioria pensar que já tem a resposta. O Eterno oferece condição de salvação a todos os homens, como nos diz o profeta: “Aos estrangeiros, que se chegam ao Eterno, para o servirem e para amarem o Eterno, sendo deste modo servos seus, sim!

    Todos os que guardam o sábado, não o profanando e abraçarem a minha aliança (circuncisão), também os levarei ao meu santo monte, e alegrarei na minha casa de oração os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos no meu altar”
    (Isaias 56:6-7).

    Qual a aliança que o Eterno pede ao estrangeiro?- E a aliança ou pacto que o Eterno fez com Abraão (Gênesis 17:7).

    A OUTRA SALVAÇÃO


    A palavra salvação tem diversas conotações, mas nunca o Eterno Yahuh diz que haverá outro Salvador alem Dele: “Eu sou o Eterno, e fora de Mim não há outro Salvador. Eu anunciei salvação, realizei-a e a fiz ouvir...” (Isaias 43:11-12; 59:1; 1:18; 50:2; Ezequiel 18:4-9, 21-23). Em sentido figurado, o Mashiach será um salvador, assim como o rei Jeocaz foi considerado da mesma forma (II Reis 13:6).

    A salvação prometida será uma forma de livramento com o propósito de trazer o restabelecimento político e moral do povo eleito, trazendo de volta a adoração verdadeira ao Eterno Deus Yahuh com o conhecimento perfeito da torá em suas entrelinhas.

    O Mashiach jamais precisará ser igualado a Deus, porque não há necessidade de um “homem salvador” agonizando na cruz, como se o Eterno não tivesse um plano traçado para a salvação dos que o invocam.

    PROFECIAS QUE FALHARAM

    As profecias do TANA'CH não falharam, o que falhou foram as profecias dos Evangelhos como veremos a seguir. HUMILDE E DOMINADOR: O profeta Zacarias dá a característica do Mashiach da seguinte forma: “Alegra-te muito, ó filha de Tsion, exulta, ó filha de Jerusalém: Eis ai vem o teu rei, justo e salvador (libertador), humilde, montado em jumento...” (Zac. 9:9).

    Ao olhar rapidamente esta profecia nos dá uma impressão que já se cumpriu em Yeshua, quando o mesmo entrou em Jerusalém, segundo os evangelhos da bíblia Católica, montado em um jumento. Digamos que realmente isto tenha acontecido, mas esta não é a única característica profetizada para o Mashiach, pois até aí está muito fácil.

    O profeta no mesmo texto continua dizendo: “Destruirei qualquer carruagem de guerra de Efraim, e eliminarei todo cavalo de combate em Jerusalém; será destruído o arco de batalha, e ele falará somente de paz às nações. Seu domínio se estenderá de um mar a outro, e desde o rio Eufrates até os confins da terra” (Zac. 9:10).

    Entrar montado num jumento foi fácil, mas não trouxe paz às nações e nem domínio de mar a mar. Pelo contrário, ensinou seus discípulos que não entrassem em casa de samaritano, nem em casa de gentio (gói-cachorros, prostitutas). Ele não anunciou paz às nações (gentios), fazendo-nos compreender que ele não é o Mashiach prometido.

    O domínio de mar a mar não aconteceu com a vinda do Yeshua, não conseguiu nem mesmo assentar sobre o trono de David melech, alegando que seu reino não era deste mundo. Se não cumpriu a profecia sobre o domínio como rei, é um sinal claro que o mesmo não é o mashiach.

    REI QUE É REI TÊM QUE REINÁ:


    Segunda a crença moderna do cristianismo pagão, o Mashiach já veio e foi aclamado Rei dos judeus. Só que a profecia diz da seguinte forma: “Eis que vêm dias, diz o Eterno Deus Yahuh em que levantarei a David um renovo justo e, como rei que é, reinará, e agirá sabiamente, e executará o juízo e a justiça na terra.

    Nos seus dias Judá será salva, e Israel habitará seguro
    ...” (Jeremias 23:5,6). Basta olhar o mundo e ver que as palavras do profeta Isaias continuam afirmando a mesma coisa: “A terra está contaminada por causa dos seus moradores, porquanto transgridem as leis, violando os estatutos e quebrando a aliança eterna” (24:5).

    Se o Mashiach já veio, onde está o juízo e a justiça na terra? Onde está à promessa de Israel habitar seguro? Onde esta o rei descendente de David reinando em Israel? Após a saída de Yeshua do cenário, passado 35 anos, Tito invadiu Jerusalém e destruiu o templo e levou cativo 120 mil judeus.

    A crença em Yeshua por parte de alguns judeus da época gerou ainda mais calamidades, que ao invés de restauração veio a derrota, ao invés de justiça na terra Israel é acusado de matar o seu próprio salvador o Mashiach (Teocídio), ao invés de segurança veio a diáspora com perseguições por parte dos inquisidores Católicos e mais tarde por Hitler.

    QUEM É O SILÓ (ENVIADO)?


    “... a Ele obedecerão os povos” (Genesis 49:10). Um rei para reinar é o que temos de mais forte na profecia como destaque, porem é esperado pelos cristãos um rei que vem do céu, e que na primeira vinda dizem que venceu satanás.

    Mas se tivesse vencido Satanás o mundo não estaria como está. As igrejas estão lotadas de pessoas que segundo dizem estão possessos de Satanás. Como alguém que está destruído continua agindo normalmente?

    Uma mente sábia não concebe tal idéia. Yeshua não conseguiu ganhar aos sacerdotes e juízes da época, para trazê-los a sua submissão. O que ele conseguiu foi um pequeno grupo de pescadores indoutos, para serem seus seguidores e que no total nos dá a entender que tinha uns 500 fiéis.

    Portanto a profecia não se cumpriu nele, fracassou, pois está escrito: “O cetro não arredará de Judá, nem o bastão de entre seus pés, até que venha Silo, e a ele obedecerá os povos” (Gênesis 49:10).



    O PROFETA PROMETIDO:


    “Suscitar-lhe-ei um profeta do meio de seus irmãos, semelhante a ti, em cuja boca porei as minhas palavras e ele lhes falará tudo que eu lhes ordenar. De todo aquele que não ouvir as minhas palavras, que Ele falar em meu nome, disso lhe pedirei contas.

    Porem o profeta que presumir de falar em meu nome, que eu lhe não mandei falar, ou que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá” (Deuteronômio 18:18-20).

    O profeta prometido pelo Eterno será semelhante a Mosheh, que tinha pai e mãe, não um extraterrestre ou vindo do céu e sem pai. Não será o verbo (palavra) ou torá (livros) que se faz carne.

    Será semelhante a Mosheh tendo descendência como Mosheh e cuja descendência, saia dos lombos do Rei David, da descendência de Abrão e com a missão de libertar Israel do jugo da opressão em que vive.

    Também ensinará o povo no caminho do Eterno seu Deus. Mesmo que o povo de imediato não creu em Mosheh como libertador, mas ele continuou em sua missão e acabou por introduzir o povo na terra de Canaã.

    Se Yeshua fosse o libertador, o mesmo teria trazido a paz tão necessária a terra e depois os judeus teriam crido nele como um Messias, como aconteceu com Mosheh.

    CONTINUA:


    Última edição por Gideão da CCB Livre em Ter Jun 24, 2014 10:45 am, editado 1 vez(es)
    avatar
    Fco Oliveira
    Admin

    Mensagens : 1360
    Reputação : -1
    Data de inscrição : 13/07/2009
    Idade : 55
    Localização : Catanduva São Paulo

    http://gideoes-ccb.forumeiros.com

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: Porque os Hebreus/Judeus não Aceitam Yeshua/Jesus Cristo Como Seu Messias?

    Mensagem por Fco Oliveira em Sab Jun 18, 2011 8:27 pm



    O MESSIAS DESCRITO NO TANA'CH, SÓ VIRAR UMA ÚNICA VEZ E COM ELE A SALVAÇÃO DO MUNDO, O FIM DA MISÉRIA DO PLANETA TERRA, O FIM DE TODAS AS DORES E TAMBÉM O FIM DO PODER DO MAL!

    DAS RAÍZES UM RENOVO- UM BROTO


    “Do trono de Jessé (Ishai) sairá um rebento e das suas raízes um renovo” (Isaias 11:1). Esta linhagem profética, nos fala por figura que um descendente de Jesse terá uma missão especial e o Espírito do Eterno repousará sobre ele. Quando diz cheio do Espírito, logo a característica especial é: “... ferirá a terra com a vara de sua boca e com o sopro dos seus lábios matará o perverso” (Isaias 11:4).

    Mas aconteceu o contrário, Yeshua é quem morreu. A autoridade que será concedida ao Mashiach será de implantar paz na terra, pois: “O lobo habitará com o cordeiro... a criança de peito brincará sobre a toca da áspide...” (Isaias 11:6-10). Ele disse que se cumpriu nele, mas não aconteceu o esperado que é a paz na terra.

    A OVELHA MUDA (Isaias 53) Este texto tem sido largamente aplicado a Yeshua, como o homem que levou o pecado e a doença. Cura e perdão de pecado sempre existiram antes de Yeshua e sem ele. Aplicar o poder de curar só a ele é desconhecer as escrituras, pois muitos milagres foram feito por intermédio de Moisés, Elias, Elizeu, Josué...

    E o Eterno sempre foi o autor disto. O povo foi mantido no deserto por quarenta anos com alimento que veio do céu e nem por isto o judeu adora Moisés. 1. O servo mencionado não morreu, pois aqui temos uma linguagem hiperbólica (exagerada). Temos exemplo na frase que diz: O homem morreu de rir, ou morreu de raiva, e isto não quer dizer que realmente morreu.

    Pois a morte é consequência do pecado (Deuteronômio 18:20). No texto de Isaias 53, o servo é admitido como se referindo ao povo de Israel (Isaias 49:1-3). 2. Se Isaias 53 se referisse a Yeshua teria então acabado o pecado e a doença na terra. Mas bem sabemos que nada disto acabou. A humanidade sofre com todo tipo de enfermidades, inclusive os próprios Ministros da palavra que pregam.

    O pecado e a doença só terão fim quando o homem retornar à torah em sua totalidade, quando a Lei de Yahuh nosso Deus for cumprida na sua totalidade, quando a torah for escrita realmente nos corações das pessoas. A doença é uma prova da violação a Lei/torah (Deuteronômio 28 e Isaias 24:5, 6).

    A CONSOLAÇÃO DOS TRISTES


    Yeshua citou o texto de Isaias 61, referindo a Si (Lucas 4:18). No versículo dois que diz: “... consolar todos os tristes” já vê que faltou o cumprimento, porque a consolação não aconteceu em Israel e nem com os seus seguidores da época. Os mesmos continuaram sobre o poder Romano.

    Não foram restauradas as cidades antigas assoladas (Verso 4 e 5). Nesta profecia não temos marcado que será cumprida em duas etapas (1ª e 2ª vinda). Portanto posso afirmar que esta profecia não se cumpriu nele.

    SHAUL (PAULO) FALA DO DESCENDENTE
    A promessa de Yahuh nosso Deus é que “... em ti (Yacov) e na tua descendência serão abençoadas todas as famílias da terra” (Genesis 28:14; 12:2; 13:16; 17:7-8; 26:3-4). A promessa é: “na tua descendência serão abençoadas...” Shaul usa uma tática maligna para enganar seus seguidores quando troca a palavra DESCENDÊNCIA, que é uma serie de pessoas que procedem de um mesmo pai, portanto palavra plural, para usar a palavra DESCENDENTE, no singular (Gálatas 3:16).

    Isto altera todo o sentido do texto, para forçar a crença que Yeshua abençoará a humanidade. Portanto o texto de Gálatas está errado e Yeshua não é o descendente. O Eterno disse a Abraão que através dele serão abençoada todas as famílias da terra, cumprindo Genesis 3:15.

    MOTIVOS DA MORTE DE YESHUA


    (Deuteronômio 18:19-20) 1. Mateus 12:6 – Disse ser maior que o templo sagrado. O Beit Hamikdash representa a presença de Yahuh o Deus do hebreus e jamais será substituído.

    O mesmo será reconstruído em dias próximos, em sinal de superioridade (Ezequiel 37:25-28) e que jamais tornará a ser destruído e que no mesmo não será permitido à entrada de incircunciso imundo (Ezequiel 44:7).

    2. Mateus 16:28 – Não provarão a morte. Nesta promessa de não provar a morte, os apóstolos esperavam ainda em seus dias a sua volta antes que morressem e isto não aconteceu.

    3. Mateus 5:32 – Contra o divórcio. O divórcio não é aconselhado, mas também não é proibido (Deuteronômio 24:1-4) e isto é a lei. E ninguém pode abolir o que foi promulgado.

    4. Lucas 24:44 – “Em mim cumpriu-se tudo o que estava escrito na lei, salmos e profetas”. Yeshua não falou a verdade conforme os textos acima citado. O mesmo não trouxe paz a terra, não reinou nem por um dia, não trouxe a restauração da terra, não levou as enfermidades e os pecados conforme é anunciado pelos pregadores.

    5. João 14:6 - O caminho... Veja mais uma afirmação sem nexo, como se antes dele ninguém tivesse sido salvo. Isto é negar que Moisés, Abraão, Isaque, Jacó, Ezequiel e que inumeráveis pessoas não tiveram direito de ser salvo. Ninguém precisou de Yeshua para ser salvo e veja que o perdão de pecados é anterior ao nascimento Dele (II Crônicas 7:14; Isaias 1:18;

    6. Mateus 24:14 – pregação em todo Mundo. Yeshua disse que o evangelho seria pregado em todo mundo e então viria o fim. De acordo com Shaul: “... o evangelho... o qual foi pregado a toda criatura que há debaixo do céu...” (Col. 1:23). Um mentiu ou os dois mentiram, pois o fim não aconteceu. Esses e outros erros levaram à morte de Yeshua e a morte dele jamais poderia ter poder para salvar.

    Yahuh o Deus dos hebreus, nunca aceitou sacrifício humano e a morte de Yeshua como sacrificio vivo é um ultrage à palavra de Yahuh nosso Deus. A prática de sacrifício humano é satanica/idolatria.


    Última edição por Gideão da CCB Livre em Ter Jun 24, 2014 10:50 am, editado 1 vez(es)
    avatar
    Fco Oliveira
    Admin

    Mensagens : 1360
    Reputação : -1
    Data de inscrição : 13/07/2009
    Idade : 55
    Localização : Catanduva São Paulo

    http://gideoes-ccb.forumeiros.com

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: Porque os Hebreus/Judeus não Aceitam Yeshua/Jesus Cristo Como Seu Messias?

    Mensagem por Fco Oliveira em Seg Jun 20, 2011 7:14 pm



    Mashmid Hoje à(s) 1:35 am
    do site: http://torahlagoym.forumais.com/t13p195-qual-o-certo-yehoshua-yahushua-yaohushua-yahoshua-ou-yeshua#535

    Tenho a honra de te mandar em primeira mão, a verdade dita por um professor de Universidade do Brasil que conhece o hebraico e sua cultura e também os relatos dos arqueólogos mais renomados do mundo que atestaram nos manuscrito do evangelho de Matityahuh/Mateus, que os pais biológicos de Yeshua é realmente José (Yoshef) e Maria (Myrian) e não o Espírito Santo como os cristão pregam.

    O professor disse:
    Olá Bruno! Respondendo isto que o Bruno tinha sugerido que se fizesse nos vídeos que o Mashimid prometeu criar:

    Esta é a sugestão do Bruno: Era legal você comentar a idade do NT, em um dos seus videos ouvi que eles não são mais antigos que a igreja católica....

    Mashimid: Sim, sim, realmente não são.

    Os textos mais antigos datam do século III, ou seja, o mesmo século do Concílio de Nicéia.
    Esses textos do século III não contém tendência à divinização de Yeshua (Jesus), e nem à trindade.

    Nesses textos, a única coisa que já se encontra é o suposto nascimento virginal.
    Porém, neles você ainda encontra textos que chamam a José de pai de Jesus.
    Antes do Concílio de Nicéia, ainda existiam duas facções famosas do cristianismo, que são: a doutrina sabeliana e a doutrina ariana.

    Sabelius que era unicista e Arius que também era unitarista.
    Para você ver como é antiga esse discussão.

    Além da facção gnóstica, que data do século I, e que não acreditavam que Jesus tivesse sido um homem (vindo em carne).

    Dessa última, há referência na bíblia, como pode ser visto na epístola de:
    (II João 1:7) - Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo.

    Logo no primeiro século já se viam tais divisões no cristianismo.
    Ou seja, se o Jesus relatado nos evangelhos realmente existiu, por que então logo no primeiro século já estavam com tantas dúvidas a respeito de Jesus?

    Historicamente, não existem relatos reais de Jesus além dos evangelhos.

    Nas cavernas de Qumran , onde foram encontrados aproximadamente 800 pergaminhos, nenhum deles se quer cita algum judeu revolucionário chamado Jesus o qual tenha formado uma seita.

    Se Jesus realmente fosse tão famoso quanto dizem, por que então os essênios, que foram contemporâneos do mesmo, nunca citaram sobre ele?
    Nenhum historiador dessa época deixou algum relato sobre Jesus.

    Qual historiador não se deliciaria em poder relatar um acontecido tão difundido e importante da história judaica?

    Historiadores como:

    Aulo Pérsio Flaco - 34 d.c. - 62 d.c - http://pt.wikipedia.org/wiki/Aulus_Persius_Flaccus

    Dion Crisóstomos 40 - 120 d.c. - http://pt.wikipedia.org/wiki/Dion_Cris%C3%B3stomos

    Justus de Tiberíades - 80 d.c - http://pt.wikipedia.org/wiki/Justo_de_Tiber%C3%ADades

    Titus Livius (Livy) 59 a.c - 17 d.c - http://pt.wikipedia.org/wiki/Tito_L%C3%ADvio

    Marco Aneu Lucano (Lucanus) 39 d.c. - 65 d.c. - http://pt.wikipedia.org/wiki/Lucano

    Públio Aneu Floro século I a II - http://pt.wikipedia.org/wiki/Floro

    Titus Petronius 27d.c.- 66 d.c. - http://pt.wikipedia.org/wiki/Petr%C3%B4nio

    Fedro (Phaedrus) 30/15 d.c. – 44/50 d.c - http://pt.wikipedia.org/wiki/Fedro

    Fílon de Alexandria (Philo Judaeus) 20 a.c. - 50 d.c - http://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%ADlon_de_Alexandria

    Caio Plínio Segundo 23 d.c. - 79 d.c. - http://pt.wikipedia.org/wiki/Caio_Pl%C3%ADnio_Segundo

    Plutarco (Plutarch) 46 d.c. - 126 d.c - http://pt.wikipedia.org/wiki/Plutarco

    Pompônio Mela, século I - http://pt.wikipedia.org/wiki/Pomponius_Mela

    Quinto Cúrcio Rufo, Primeira metade do século I - http://pt.wikipedia.org/wiki/Quinto_C%C3%BArcio_Rufo

    Marcus Fabius Quintilianus 35 d.c. - 95d.c.- http://pt.wikipedia.org/wiki/Quintiliano

    Lúcio Aneu Séneca 4 a.c - 65 d.c. - http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A9neca

    Sílio Itálico 25 d.c - 101 d.c. - http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADlio_It%C3%A1lico

    Marco Estácio Prisco, século I - http://pt.wikipedia.org/wiki/Marco_Est%C3%A1cio_Prisco

    O único relato em que se vê nitidamente uma menção de Jesus, é do historiador Flávio Josefo. Porém, há um problema aí. Os manuscritos originais de Flávio, desapareceram por um tempo.

    Depois apareceram cópias do que se diz dos relatos de Josefo.
    Mas, quando lemos o trecho o qual cita sobre Jesus, percebemos nitidamente uma descontextualização, além da falta de coerência e coesão do texto.

    Além disso, o texto é extremamente duvidoso, pelo motivo de Flávio confessar a Jesus como o Messias dos judeus , e mesmo assim, não segui-lo.
    Vejamos o trecho no qual fala sobre Jesus:

    772. Nesse mesmo tempo, apareceu JESUS, que era um homem sábio, se é que podemos considerá-lo simplesmente um homem, tão admiráveis eram as suas obras. Ele ensinava os que tinham prazer em ser instruídos na verdade e foi seguido não somente por muito judeus, mas também por muitos gentios. Ele era o CRISTO.

    Os mais ilustres dentre os de nossa nação acusaram-no perante Pilatos, e este ordenou que o crucificassem. Os que o haviam amado durante a sua vida não o abandonaram depois da morte.

    Ele lhes apareceu ressuscitado e vivo no terceiro dia, como os santos profetas haviam predito, dizendo também que ele faria muitos outros milagres. É dele que os cristãos, os quais vemos ainda hoje, tiraram o seu nome.


    Analisemos.
    Josefo nasceu no ano 37 a.e.c, e segundo ele, diz que Jesus era sábio, e ainda diz, "se é que podemos considerá-lo simplesmente um homem".

    Josefo não conheceu a Jesus, aliás, no ano 37 a.e.c. Josefo era apenas um bebê, como saberia Josefo se Jesus era sábio, ou mesmo questionar se Jesus era realmente um "simples homem"?

    Na mente de Josefo, se Jesus não era homem, o que então ele seria, um deus?
    Veja que isso é uma mentalidade totalmente fora dos padrões do pensamento judaico.

    Judeus não acreditam que pessoas comuns possam ser consideradas como um deus, veja que esse trecho é claramente a confissão de uma doutrina teosófica, doutrina a qual não tem nenhuma base no pensamento judaico.

    Ele ensinava os que tinham prazer em ser instruídos na verdade e foi seguido não somente por muito judeus, mas também por muitos gentios.

    O que seria a instrução verdadeira para Josefo? Para o judeu, a instrução verdadeira é a Torah, inclusive, Torah significa exatamente "INSTRUÇÃO".

    Ou seja, como Josefo diria que Jesus instruia a verdade se ele mesmo foi várias vezes contra a Torah ?
    Ele era o CRISTO.

    Ele era o Messias!

    Para Josefo, o que seria o Messias? O Messias é o Rei judeu que viria libertar ao povo judeu da opressão de seus adversários, e levar o mundo a uma era de paz.

    Como pode Josefo, como judeu, confessar que Jesus é o REI dos judeus, o MESSIAS esperado e não segui-lo?

    Ele lhes apareceu ressuscitado e vivo no terceiro dia, como os santos profetas haviam predito, dizendo também que ele faria muitos outros milagres.

    Se Josefo realmente tivesse relatado isso, confessando que Jesus é o seu Rei, confessando que Jesus ressuscitou dentro os mortos, e ainda por cima "CUMPRIU AS PROFECIAS", ele não teria crido em Jesus e se tornado seu seguidor?

    Como pode tamanha burrice!? Percebam que a burrice na verdade, foi da manipulação que fizeram ao texto, já que NINGUÉM que cresse em Jesus, da maneira que diz nesse texto, deixaria de segui-lo.

    Qual pessoa que confessa alguém como seu LIBERTADOR e não o segue?
    São mentiras em cima de mentiras, manipulações sobre manipulações.
    Além de tudo isso, não podemos esquecer de uma coisa.

    O "CONCEITO DE MESSIAS" é apenas uma interpretação rabínica baseada em alguns trechos do Tanach. No Tanach inteiro, não há uma profecia clara que diga sobre um Messias, e sim textos que falam indiretamente de um Rei vindo das entranhas de David, que traria paz sobre o mundo.

    Veja então que, se os rabinos interpretaram erroneamente as profecias, todo esse conceito de messias cai por terra.

    Sendo assim, o cristianismo é baseado simplesmente em uma interpretação rabínica, ou seja, toda a confiança lançada sobre o cristianismo está baseada na interpretação de homens, os quais entenderam que nos textos do Tanach fala de um rei libertador.

    Não existiria o conceito de Messias sem os rabinos.
    Além do mais, a maioria das profecias de Isaías as quais se entendem (pelos cristãos) como profecias messiânicas, se referem a Ezequias, rei de Judá.


    Última edição por Gideão da CCB Livre em Ter Jun 24, 2014 11:02 am, editado 1 vez(es)
    avatar
    Fco Oliveira
    Admin

    Mensagens : 1360
    Reputação : -1
    Data de inscrição : 13/07/2009
    Idade : 55
    Localização : Catanduva São Paulo

    http://gideoes-ccb.forumeiros.com

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: Porque os Hebreus/Judeus não Aceitam Yeshua/Jesus Cristo Como Seu Messias?

    Mensagem por profeta em Ter Jun 21, 2011 4:15 am

    Sendo assim tambem eu vos apresento este livro,embora eu nao me fio muito no mundo,antes pelo contrario tento pedir directo a Deus o que pretendo saber.

    http://www.essejota.net/index.php?a=vnrhrlqqvkuivvqluprhrsqhutrhqqqkqruiqjrtrsrkqhvvrhqqquugrmqvrk

    profeta

    Mensagens : 24
    Reputação : 1
    Data de inscrição : 19/06/2011
    Idade : 43
    Localização : Alemanha

    http://emanuelconvosco.blogspot.com/

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: Porque os Hebreus/Judeus não Aceitam Yeshua/Jesus Cristo Como Seu Messias?

    Mensagem por Fco Oliveira em Qua Jun 22, 2011 12:46 pm

    Meu amado irmão, o que você tem ai guardado para debater sobre o assunto, coloque-o na mesa, mais não fique ciscando encima da comida, como diz o ditado popular no Brasil! Se Deus te deu algo de bom compartilhe conosco, divida-o conosco e sirva-o aos meus leitores que estão todos famintos por amor da Verdade!

    Diante de tantas informações que já temos em mãos, o nosso mundo envolto a mentiras e engano por estes padres e papas malditos que nos fizeram isto, criaram essa farsa chamado Jesus Cristo, com um único propósito: que a humanidade adorasse a maldita ss. trindade o Pai Ninrode, o Filho Tamuz e o Espírito Santo Semiramis;

    Agora que nós acordamos para a realidade, aparece um servo do pai da mentira, aqui, nos aliciando a venerar estes malditos papas miseraveis que fez tudo isto conosco, criaram até uma bíblia adulterada para que a humanidade adorassem essa maldita trindade!

    O amigo e irmão Profeta, deveria em primeiro lugar, buscar do seu Deus o dom de discernir "os espíritos", para poder conhecer que tipo de espírito habita em sua alma; porque do Deus de Elias nunca foi, isto temos provas o suficiente em todas as postagens que ele já postou aqui.

    O amado Profeta não conhece o Deus de Abraão, de Ysaaque e de Yaacov, nem saberia dizer o Nome do Deus que falou com Elias no monte Carmelo; como também não conhece o Deus que lhe criou, é um andarilho cideral.
    avatar
    Fco Oliveira
    Admin

    Mensagens : 1360
    Reputação : -1
    Data de inscrição : 13/07/2009
    Idade : 55
    Localização : Catanduva São Paulo

    http://gideoes-ccb.forumeiros.com

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: Porque os Hebreus/Judeus não Aceitam Yeshua/Jesus Cristo Como Seu Messias?

    Mensagem por Fco Oliveira em Ter Fev 11, 2014 7:33 pm


    Judeus não acreditam em Jesus, por que o Jesus Cristo do cristianismo é um Mito criado pelo o clero Romano.


    Por que os judeus não acreditam em Jesus?

    RESPOSTA:


    Por séculos os judeus foram perseguidos por sua fé e prática religiosa. Muitos tentaram impor suas idéias e aniquilar o judaísmo. Nem as cruzadas, nem a inquisição implacável, nem os pogroms conseguiram manipular nossas almas cumprindo seu intento.
    O judaísmo mantém sua chama sempre viva.


    A história comprova: os judeus continuam rejeitando o Cristianismo. Por quê?
    Porque somos simplesmente judeus, nascemos e vivemos o judaísmo e temos nossas próprias convicções.


    Mas quando judeus são seguidamente questionados sobre esta questão e não-judeus frequentemente perguntam: "Por que os judeus não acreditam em Jesus?" Preparamos alguns argumentos com o objetivo, não de depreciar outras religiões, pois respeitamos a todos e por esta razão não fazemos proselitismo, mas sim apenas para esclarecer a posição judaica.
     
    Por que os judeus não acreditam em Jesus? Porque:
    1. Jesus não preencheu as profecias messiânicas
    2. Cristianismo contradiz a teologia judaica
    3. Jesus não personifica as qualificações pessoais do Messias
    4. Versículos bíblicos "referindo-se" a Jesus são traduções incorretas
    5. A crença judaica é baseada na revelação nacional
    Veja também:
    6. Judeus e Gentios
    7. Trazendo o Messias



     
    1. JESUS NÃO PREENCHEU AS PROFECIAS MESSIÂNICAS
    O que o Messias deveria atingir? A Torá diz que ele:
    a - Construirá o terceiro Templo Sagrado (Yechezkel 37:26-28)
    b - Levará todos os judeus de volta à Terra de Israel (Yeshayáhu 43:5-6).
    c - Introduzirá uma era de paz mundial, e terminará com o ódio, opressão, sofrimento e doenças. Como está escrito: "Nação não erguerá a espada contra nação, nem o homem aprenderá a guerra." (Yeshayáhu 2:4).
    d - Divulgará o conhecimento universal sobre o D'us de Israel - unificando toda a raça humana como uma só. Como está escrito: "D'us reinará sobre todo o mundo - naquele dia, D'us será Um e seu nome será Um" (Zecharyá 14:9).
    O fato histórico é que Yeshua do judaísmo messiânico ou o Jesus Cristo do cristianismo, não preencheu ou cumpriu nenhuma destas profecias messiânicas.



     
    2. CRISTIANISMO CONTRADIZ A TEOLOGIA JUDAICA
    a - D'us em três?
    A ideia cristã da trindade quebra D'us em três seres separados: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Mateus 28:19).
    Compare isto com o Shemá, a base da crença judaica: "Ouve, ó Israel, o Eterno nosso D'us, o Senhor é UM" (Devarim 6:4). Os judeus declaram a unicidade de D'us todos os dias, escrevendo-a sobre os batentes das portas (Mezuzá), e atando-a à mão e cabeça (Tefilin). Esta declaração da unicidade de D'us são as primeiras palavras que uma criança judia aprende a falar, e as últimas palavras pronunciadas antes de morrer.
    Na Lei Judaica, adorar um deus em três partes é considerado idolatria - um dos três pecados cardeais, que o judeu prefere desistir da vida a transgredir. Isto explica porque durante as Inquisições e através da História, os judeus desistiram da vida para não se converterem ao cristianismo.
     
    b - Um homem como deus?
    Os cristãos acreditam que D'us veio à terra em forma humana, como disse Yeshua/Jesus: "Eu e o Pai somos um" (João 10:30).
    Maimônides devota a maior parte do "Guia para os perplexos" a ideia fundamental que D'us é incorpóreo, significando que Ele não assume forma física. D'us é eterno, acima do tempo. É infinito, além do espaço. Não pode nascer, e não pode morrer. Dizer que D'us assume forma humana torna D'us pequeno, diminuindo tanto Sua Unidade como Sua Divindade. Como diz a Torá: "D'us não é um mortal" (Bamidbar 23:19).
    O Judaísmo diz que Messias nascerá de pais humanos, com atributos físicos normais, como qualquer outra pessoa. Não será um semideus, e não possuirá qualidades sobrenaturais. De fato, em cada geração vive um indivíduo com a capacidade de tornar-se o Messias. (veja Maimônides - Leis dos Reis 11:3).
     
    c - Um intermediário para a oração?
    É uma ideia básica na crença cristã que a prece deve ser dirigida através de um intermediário - i.e., confessando-se os pecados a um padre. O próprio Jesus é um intermediário, pois disse: "Nenhum homem chega ao Pai a não ser através de mim."
    No Judaísmo, a prece é assunto totalmente particular, entre cada pessoa e D'us. A Torá diz: "D'us está perto de todos que clamam por Ele" (Tehilim 145:18). Além disso, os Dez Mandamentos declaram: "Não terá outros deuses DIANTE DE MIM," significando que é proibido colocar um mediador entre D'us e o homem. (veja Maimônides - Leis da Idolatria cap. 1).
     
    d - Envolvimento no mundo físico
    O Cristianismo frequentemente trata o mundo físico como um mal a ser evitado. Maria, a mais sagrada mulher cristã, é retratada como uma virgem. Padres e freiras são celibatários. E os mosteiros estão em locais remotos e segregados.
    Em contraste, o Judaísmo acredita que D'us criou o mundo físico não para nos frustrar, mas para nosso prazer. A espiritualidade judaica vem através do envolvimento no mundo físico de maneira tal que ascenda e eleve. O sexo no contexto apropriado é um dos atos mais sagrados que podemos realizar.
    O Talmud diz que se uma pessoa tem a oportunidade de saborear uma nova fruta e recusa-se a fazê-lo, terá de prestar contas por isso no Mundo Vindouro. As escolas rabínicas ensinam como viver entre o alvoroço da atividade comercial. Os judeus não se afastam da vida, elevam-na.



     
    3. JESUS NÃO PERSONIFICA AS QUALIFICAÇÕES PESSOAIS DO MESSIAS
    a - Messias como profeta
    Jesus não foi um profeta. A profecia apenas pode existir em Israel quando a terra for habitada por uma maioridade de judeus. Durante o tempo de Ezra (cerca de 300 AEC), a maioria dos judeus recusou-se a mudar da Babilônia para Israel, e assim a profecia terminou com a morte dos três últimos profetas - Chagai, Zecharyá e Malachi.
    Jesus apareceu em cena aproximadamente 350 anos após a profecia ter terminado.
     
    b - Descendente de David
    O Messias deve ser descendente do Rei David pelo lado paterno (veja Bereshit 49:10 e Yeshayáhu 11:1). Segundo a reivindicação cristã que Jesus era filho de uma virgem, não tinha pai - e dessa maneira não poderia ter cumprido o requerimento messiânico de ser descendente do Rei David pelo lado paterno!
     
    c - Observância da Torá
    O Messias levará o povo judeu à completa observância da Torá. A Torá declara que todas as mitsvot permanecem para sempre, e quem quer que altere a Torá é imediatamente identificado como um falso profeta. (Devarim 13:1-4).
    No decorrer de todo o Novo Testamento, Jesus contradiz a Torá e declara que seus mandamentos não se aplicam mais. (veja João 1:45 e 9:16, Atos 3:22 e 7:37).



     
    4. VERSÍCULOS BÍBLICOS "REFERINDO-SE" A JESUS SÃO TRADUÇÕES INCORRETAS
    Os versículos bíblicos apenas podem ser entendidos estudando-se o texto original em hebraico - que revela muitas discrepâncias na tradução cristã.
     
    a - Nascimento virgem
    A idéia cristã de um nascimento virgem é extraído de um versículo em Yeshayáhu descrevendo uma "alma" que dá à luz. A palavra "alma" sempre significou uma mulher jovem, mas os teólogos cristãos séculos mais tarde traduziram-na como "virgem". Isto relaciona o nascimento de Jesus com a idéia pagã do primeiro século, de mortais sendo impregnados por deuses.
     
    b - Crucifixão
    O versículo em Tehilim 22:17 afirma: "Como um leão, eles estão em minhas mãos e pés." A palavra hebraica ka'ari (como um leão) é gramaticalmente semelhante à palavra "ferir muito". Dessa maneira o Cristianismo lê o versículo como uma referência à crucifixão: "Eles furaram minhas mãos e pés."
     
    c - Servo sofredor
    Os cristãos afirmam que Yeshayáhu (Isaías) 53 refere-se a Jesus. Na verdade, Yeshayáhu 53 segue diretamente o tema do capítulo 52, descrevendo o exílio e a redenção do povo judeu. As profecias são escritas na forma singular porque os judeus (Israel) são considerados como sendo uma unidade. A Torá está repleta de exemplos de referências à nação judaica com um pronome singular.
    Ironicamente, as profecias de perseguição de Yeshayáhu referem-se em parte ao século 11, quando os judeus foram torturados e mortos pelas Cruzadas, que agiram em nome de Jesus.
    De onde provêm estas traduções erradas? S. Gregório, Bispo de Nanianzus no século IV, escreveu: "Um certo jargão é necessário para se impor ao povo. Quantos menos compreenderem, mais admirarão."



     
    5. A CRENÇA JUDAICA É BASEADA NA REVELAÇÃO NACIONAL
    Das 15.000 religiões na História Humana, apenas o Judaísmo baseia sua crença na revelação nacional - i.e., D'us falando a toda a nação. Se D'us está para iniciar uma religião, faz sentido que Ele falará a todos, não apenas a uma pessoa.
    O Judaísmo,é a única entre todas as grandes religiões do mundo que não confia em "reivindicações de milagres" como base para estabelecer uma religião. De fato, a Torá afirma que D'us às vezes concede o poder de "milagres" a charlatães, para testar a lealdade judaica à Torá (Devarim 13:4).
     
    Maimônides declara (Fundações da Torá, cap. Cool:

    "Os Judeus não creram em Moshê (Moisés), nosso mestre, por causa dos milagres que realizou. Sempre que a crença de alguém baseia-se na contemplação de milagres, tem dúvidas remanescentes, porque é possível que os milagres tenham sido realizados através de mágica ou feitiçaria. Todos os milagres realizados por Moshê no deserto aconteceram porque eram necessários, e não como prova de sua profecia.

    "Qual era então a base da crença judaica? A revelação no Monte Sinai, que vimos com nossos próprios olhos e ouvimos com nossos ouvidos, não dependendo do testemunho de outros... como está escrito: 'Face a face, D'us falou com vocês...' A Torá também declara: 'D'us não fez esta aliança com nossos pais, mas conosco - que hoje estamos todos aqui, vivos.' (Devarim 5:3)."

    O Judaísmo não são os milagres. É o testemunho da experiência pessoal de todo homem, mulher e criança.



     
    6. JUDEUS E GENTIOS
    O Judaísmo não exige que todos se convertam à religião. A Torá de Moshê é uma verdade para toda a Humanidade, seja judia ou não. O Rei Salomão pediu a D'us para considerar as preces de não-judeus que vão ao Templo Sagrado (Reis I, 8:41-43). O profeta Yeshayáhu refere-se ao Templo Sagrado como uma "Casa para todas as nações." O serviço no Templo durante Sucot realizava 70 oferendas de touros, correspondendo às 70 nações do mundo. De fato, o Talmud diz que se os Romanos tivessem percebido quantos benefícios estavam conseguindo do Templo, jamais o teriam destruído.
    Os judeus nunca buscaram ativamente converter as pessoas ao Judaísmo, porque a Torá prescreve um caminho correto para que os gentios o sigam, conhecido como "As Sete Leis de Nôach." Maimônides explica que qualquer ser humano que observe fielmente estas leis morais básicas recebe um lugar apropriado no céu.
     
    Para um estudo mais completo sobre as Sete leis de Nôach clique aqui.



     
    7. TRAZENDO O MESSIAS
    De fato, o mundo está desesperadamente necessitado da Redenção Messiânica. A guerra e a poluição ameaçam nosso planeta; o ego e a confusão estão erodindo a vida familiar. Na mesma extensão em que estamos conscientes dos problemas da sociedade, é a extensão em que ansiamos pela Redenção. Como declara o Talmud, uma das primeiras perguntas que um judeu recebe no Dia do Julgamento é: "Você ansiou pela vinda do Messias?"
    Como podemos apressar a vinda de Mashiach? A melhor maneira é amar generosamente toda a humanidade, cumprir as mitsvot da Torá (da melhor maneira que pudermos) e encorajar outros para que as cumpram também.
    O Mashiach pode chegar a qualquer momento e tudo depende de nossas ações. D'us estará pronto quando estivermos. Pois, como disse o Rei David: "A Redenção chegará hoje - se derem atenção à Sua voz."
    avatar
    Fco Oliveira
    Admin

    Mensagens : 1360
    Reputação : -1
    Data de inscrição : 13/07/2009
    Idade : 55
    Localização : Catanduva São Paulo

    http://gideoes-ccb.forumeiros.com

    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Re: Porque os Hebreus/Judeus não Aceitam Yeshua/Jesus Cristo Como Seu Messias?

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Conteúdo patrocinado


    Voltar ao Topo Ir em baixo

    Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

    - Tópicos similares

     
    Permissão deste fórum:
    Você não pode responder aos tópicos neste fórum