Gideões da CCB Livre de Religião.
Buscar
 
 

Resultados por:
 

 


Rechercher Busca avançada

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Dezembro 2016
SegTerQuaQuiSexSabDom
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031 

Calendário Calendário

Estatísticas
Temos 1226 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de Marcos T

Os nossos membros postaram um total de 1695 mensagens em 551 assuntos

A Fórmula do Verdadeiro Batismo Bíblico!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A Fórmula do Verdadeiro Batismo Bíblico!

Mensagem por Fco Oliveira em Seg Nov 22, 2010 8:04 pm



Sobre este assunto, a Fórmula do verdadeiro Batismo bíblico, não existe! Por que a Doutrina do Batismo não é uma instituição Divina, mas sim, uma interpolação de doutrinas pagãs, que foram cristianizadas pelo o Imperador Constantino criador da ICAR.

Batismo de arrependimento, para remissão dos pecados, é doutrina vinda do Mitraísmo pagão, vejam:


O mitraísmo (em persa: مهرپرستی) foi uma religião de mistérios nascida na época helenística (provavelmente no século II a.C.) no Mediterrâneo Oriental, tendo se difundido nos séculos seguintes pelo Império Romano.

Alcançou a sua máxima expansão geográfica nos séculos III e IV d.C., tendo se tornado um forte concorrente do cristianismo. O mitraísmo recebeu particular aderência dos soldados romanos.

A prática do mitraísmo, assim como de outras religiões pagãs, foi declarada ilegal pelo imperador romano Teodósio I em 391. Pois o Cristianismo já era a Religião oficial do Império Romano, que fora oficializada no ano 325 d.C no Concilio de Nicéia.

O Ritual, Práticas e Dias sagrados do Mitraísmo

O ritual do mitraísmo era complicado e significativo. Incluía uma complexa cerimônia de iniciação em sete estágios ou graus, o último dos quais firmava uma amizade mística com o deus.

Longas provas de abnegação e mortificação da carne constituíam complementos necessários ao processo de iniciação.

A admissão à completa participação no culto habilitava uma pessoa a participar dos sacramentos, sendo o mais importante o batismo e uma refeição sagrada com pão, água e, possivelmente, vinho (a santa ceia).

Outras observâncias incluíam a purificação lustral (ablusão cerimonial com água santificada), a queima de incenso, os cânticos sagrados e a guarda dos dias santos.

Destes últimos, eram exemplos típicos o domingo e o dia 25 de dezembro. Imitando a religião astral dos Caldeus (Zoroastrismo), cada dia da semana era dedicado a um corpo celeste.

Uma vez que o sol, como fonte de luz e fiel aliado de Mitra, era o mais importante desses corpos, seu dia era, naturalmente, o mais sagrado, ou seja, o "domingo representava o dia do sol" e dia de guarda semanalmente. 



O dia 25 de dezembro possuía, também significação solar: sendo a data aproximada do solstício de inverno, marcava a de sua longa viagem ao sul do Equador. Era, em certo sentido o "dia do nascimento do sol", uma vez que assinalava a renovação de suas forças vivificadoras para benefício do homem.

Em toda a História dos hebreus, não se encontra um só registro de batismo; somente no ano . a.c, que houve a divisão dos hebreus, é que surgiu uma seita chamada de Essênios que "Realizavam o ritual do Batismo nas águas aos iniciados";



Essênios


Os Essênios ou Essénios (Issi'im) constituíam um grupo ou seita judaica ascética que teve existência desde mais ou menos o ano 150 a.C. até o ano 70 d.C. Estavam relacionados com outros grupos religioso-políticos, como os saduceus.

Durante o domínio da Dinastia Hasmonéa, os essênios foram perseguidos. Retiraram-se por isso para o deserto, vivendo em comunidade e em estrito cumprimento da lei mosaica, bem como da dos Profetas.

Na Bíblia não há menção sobre eles. Sabemos a seu respeito por Flávio Josefo (historiador oficial judeu) e por Fílon de Alexandria (filósofo judeu). Flávio Josefo relata a divisão dos judeus do Segundo Templo em três grupos principais: Saduceus, Fariseus e Essênios.

Os Essênios eram um grupo de separatistas, a partir do qual alguns membros formaram uma comunidade monástica ascética que se isolou no deserto.

Acredita-se que a crise que desencadeou esse isolamento do judaísmo ocorreu quando os príncipes Macabeus no poder, Jonathan e Simão, usurparam o ofício do Sumo Sacerdote, consternando os judeus conservadores.

Alguns não podiam tolerar a situação e denunciaram os novos governantes. Josefo refere, na ocasião, a existência de cerca de 4000 membros do grupo, espalhados por aldeias e povoações rurais.

Pedro ou Kefas o apóstolo de Yeshua/Yahushuah declarou "Arrependei-vos, e cada um de vós sejam batizados em nome de Yeshua/Yahushuah Ha-Mashiach para remissão de vossos pecados, e recebereis o dom do Ruach Ha-Kodesh de Yahuh dos Exércitos." Atos 2-38.

PS: vejam que estes Apóstolos escritos nos Atos não são os Discípulos do falso Messias Yeshua/Yahushua do judaísmo; pois os judeus nunca batizam as pessoas, eles os circuncidam como está escrito na torah.

Em outro capítulo de Atos (19), observamos um diálogo esclarecedor sobre o batismo, e a "fórmula" em obediência as palavras do Salvador Yahushuah:

Shaul Hashaliach indagou a alguns de Éfeso: " Recebestes o Ruach Ha-Kodesh, quando crestes? Responderam-lhe eles: Não, nem sequer ouvimos falar que o Ruach Ha-Kodesh de Yahuh é dado às pessoas" ver-2

Percebemos que essa doutrina, tem uma mensagem oculta, o Império Romano está usando a História de um homem hebreu, para divinizar uma doutrina espúria, vindo do paganismo Mitraísmo, vamos ver as mentiras nas datas:

Aqui se ver claro os degraus desta construção maldita chamada Religião Cristã, nas datas são reveladas toda a trama diabólica do clero Romano.

O livro de Atos dos Apóstolos foi provavelmente escrito no primeiro século entre 61 a 64 da era comum e nele se ver que o mandamento do batismo é na pessoa/nome do Messias Yeshua/Yahushua (que nunca foi o Messias prometido).

E a doutrina da SS. Trindade criada por Tertuliano o inventor da Trindade, sacerdote católico e autor de várias obras, que viveu entre os séculos 2 e 3, foi quem criou a filosofia que se denominou de Trindade: "Tres Personae, una substantia". (texto original em latim)

Viram? No primeiro século era no nome/pessoa do salvador, quando divinizaram a doutrina do Mitraísmo, que é a Trindade Solis, deixaram de batizar no Nome e passaram a batizar na trindade solar.


Algo que realmente é pouco esclarecido a toda e qualquer comunidade: Judeus nunca batizam as pessoas! Os hebreus cumprem a Lei/torah circuncidando-os.

A Sinagoga ou Congregação Messiânica que batizar uma pessoa, eles não são adeptos do judaísmo e nem conhece as origens dos hebreus.

Fco Oliveira
Admin

Mensagens : 1354
Reputação : -1
Data de inscrição : 13/07/2009
Idade : 54
Localização : Catanduva São Paulo

http://gideoes-ccb.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Fórmula do Verdadeiro Batismo Bíblico!

Mensagem por Fco Oliveira em Seg Jul 29, 2013 5:09 pm



Quem é o Yeshua Ha Mashiach do Judaísmo, onde ele nasceu, qual a sua origem, ele é o salvador do mundo?

O Yeshua Ben Yoshef o Mashiach do judaísmo tem origem e Cidade natal; sabemos que ele nasceu na Cidade de Belém da Judeia, os seus pais foram Miryan e Yoshef, teve 4 irmãos e várias irmãs.

Era hebreu nato, obedecia o Deus dos hebreus Yehovah/Yahuh/Yahweh/YHWH, guardava os Dez Mandamentos da torah hebraica, respeitava as tradições dos hebreus e guardava e santificava o Sábado.

Foi casado com Marianmini, tiveram dois filhos e as filhas não aparecem nos registros, era amado por muitos hebreus que esperavam a redenção dos filhos de Abraão das mãos dos seus inimigos os Romanos; por isto se tornou um revolucionário para libertar o seu povo das mãos dos Romanos que o oprimiam.

Era considerado por muitos um bruxo, um feiticeiro, um charlatão, pois faziam curas e milagres usando magia negra aprendida no Egipto; foi morto aos 40 anos pelo os hebreus conhecidos como Fariseus, não pendurado numa cruz, pois a morte na cruz era somente para homens escravos e ele era hebreu livre, não ressuscitou dos mortos, pois se encontram os seus ossos na Tumba de Talpiort até o dia de hoje.

Queria ser o Mashiach ou o Ungido do Deus dos hebreus, mas não conseguiu cumprir nenhuma das 456 profecias escrita nos livros sagrados dos hebreus; não era contra o casamento, pois ele foi casado e pai, não era Católico e nem criou o Cristianismo.

Descobrimos que Yeshua não tem nada a ver com o Jesus Cristo do Cristianismo, são dois homens totalmente diferentes um do outro!

Yeshua tem 2009 anos de idade e o Jesus Cristo se tivrsse  existido teria hoje 421 anos de idade e também não há salvação na pessoa deste falso Messias Yeshua Ha Mashiach!


Se esta salvação realmente existe, não vamos encontrá-la nas Sinagogas ou Congregações Messiânicas que servem e adoram este Deus Cristo ou Cristo homem!

As Sinagogas ou Congregações que servem e adoram este falso Mashiach Yeshua como seu salvador, como a CINA (Congregação Israelita da Nova Aliança), CJM (Congregação Judaica Messiânica) estão todas enganando
o povo.

Primeiro de tudo: Yeshua o Cristo do Judaísmo nunca foi considerado um homem Deus; mas sim, um grande profeta! Mas mesmo assim, diante da torah, não existe vaga para este homem Deus ser adorado como um Deus, como está sendo louvado e adorado hoje.



Eu fui buscar a verdade onde elas realmente estão, nos fatos, em museus, nos livros Históricos e principalmente nas datas, não existe prova melhor do que as datas, para se ver quem é quem nesta epopeia.

Se eu hoje reneguei o Cristo Yeshua do Judaísmo, é por que ele não vale nada também, é pior do que o falso Jesus Cristo dos cristãos, ele não é o salvador do mundo, não cumpriu as profecias do tanach e não ressuscitou dos mortos.

Então a vossa bíblia ou escritura sagrada é um lixo sim! Mesmo vocês não querendo aceitar, não existe meio termo, é sim sim ou não não, passou disto é mentira. Se este cara não é Deus e nem Filho de Deus, por que servi-lo e adorá-lo? Errado!

Nós os humanos só podemos servir e adorar ao Altíssimo Deus que nos criou; nada de adorar homem Deus ou um Deus Cristo que veio morrer pelas as mãos dos homens para salvar os homens, isto não tem ética nenhuma.

Se existe um Deus que ama o ser humano e deseja salvá-lo e levá-lo para o seu Reino ou Céu; não precisa Ele vir aqui morrer pelas as mãos dos homens para poder salvar as almas dos homens, não!

Deus é Onipotente ou Todo Poderoso, é Onisciente sabe de tudo e é Onipresente está em todo o lugar ao mesmo tempo, se Deus é tudo isto, Ele não pode morrer, pois Ele é imortal!

A ideia de morte e ressurreição de Yeshua Ha Mashiach do Judaísmo está furada, não existe ética nenhuma nesta ideologia, se Deus quer fazer uma obra, Ele é o dono de tudo, não precisa da ajuda de nenhum homem bom ou mau, para matar parte de si para só depois provar que Ele é Deus ou Filho de Deus.

Fco Oliveira
Admin

Mensagens : 1354
Reputação : -1
Data de inscrição : 13/07/2009
Idade : 54
Localização : Catanduva São Paulo

http://gideoes-ccb.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum