Gideões da CCB Livres.
Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Últimos assuntos
Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar

O VERDADEIRO NOME DO ETERNO!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O VERDADEIRO NOME DO ETERNO!

Mensagem por Administrador em Dom Mar 14, 2010 12:32 pm



E CONHECEREIS A VERDADE, E A VERDADE VOS LIBERTARÁ. Yahuhánan (Jo.) 8:32.

O Mestre Yahúshuah também não agradou a muitos quando aqui esteve para implantar o seu reino da verdade. Se o mundo se encontra no caos espiritual, debaixo das maiores e horrendas mentiras, a culpa é de seu próprio meio, o ser-humano preferiu e prefere dar ouvido as mentiras do diabo ao invés de dar ouvido a verdade que realmente salva, esta verdade que liberta o homem de toda falsa religiosidade que escraviza e que não salva.

Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Yahu permanece eternamente. I Yahuhánan (Jo.) 2:17. Poucas pessoas na atualidade conhecem realmente a verdade a respeito da real história do Plano Divino da Salvação que o Altissimo elaborou para redenção espiritual da humanidade.

A maioria das pessoas estão envoltas em uma religiosidade exacerbada, sem conteúdos da verdade, repletas de idolatrias que objetivam somente fazer com que o homem se afaste do Eterno Yahu, substituindo o verdadeiro pelo falso, jogando-o cada vez mais em um abismo infinito de ignorância, incentivando o serviço a deuses falsos, criados pela mente doentia de muitos.

Para se ter uma idéia, pesquisas feitas a respeito de varios temas espirituais, comprovaram que 90% das pessoas entrevistadas não tinham o menor conhecimento dos assuntos em pauta. Um exemplo disto ocorreu com a palavra “ TETRAGRAMA“.

Das pessoas questionadas, 94% não sabiam do que se tratava, por se tratar do nome único do Criador, seria lógico que as pessoas o conhecesse, no entanto, isto não ocorreu.
TETRAGRAMA – O Tetragrama (YHWH), designa o nome pessoal e distintivo do Yahu Ul de Yahshorul (Ysrael).

É formado pelas consoantes Yôd – Hê – Vãv – Hê, é escrito como todo hebraico, da direita para esquerda, ou seja HWHY. O Tetragrama YHWH aparece mais de 6.800 vezes sozinho ou em conjução com outro nome... Mas, deveras, para isso te hei mantido, a fim de mostrar-te o meu poder, e para que seja o meu Nome anunciado em toda a terra. Êxodo 9:16.

Portanto, eis que lhes farei conhecer, desta vez lhes farei conhecer a minha força e o meu poder; e saberão que o meu Nome é Yahu (YHWH). Yarmiyahu (Jer.) 16:21.
O gráfico abaixo mostra as quatros consoantes hebraicas (YÔD,HÊ,VÂV,HÊ), que compõem o nome sagrado do Criador, o Tetragrama YHWH.

Este nome é divino e imutavel, mais, por que as pessoas não conhecem este nome? Seria da vontade do Altissimo que seu nome não fosse conhecido? É claro Não! O Eterno quer que seu nome seja conhecido, invocado e adorado. Veja algumas provas:

Por isso, o meu povo saberá o meu Nome; portanto, naquele dia, saberá que sou eu quem fala: Eis-me aqui.” Yashayahu (Isaias) 52:6. Mas, deveras, para isso te hei mantido, a fim de mostrar-te o meu poder, e para que seja o meu Nome anunciado em toda a terra. Êxodo 9:16. Portanto, eis que lhes farei conhecer, desta vez lhes farei conhecer a minha força e o meu poder; e saberão que o meu Nome é Yahu (YHWH). Yarmiyahu (Jer.) 16:21.

O NOME DO ETERNO FOI PROFANADO, PAGANIZADO:

Profira minha boca louvores a Yahu Ul (YHWH), e toda carne louve o seu santo Nome para todo o sempre. Salmo 145:21.
As Sagradas Escrituras nos mostram com grande clareza que uma ação diabólica foi planejada para tentarem ocultar o nome sagrado do Altissimo.

Nos dias atuais vemos o nome sagrado (YHWH) ser substituido por muitos nomes, tais como: Zeus (deus mitológico grego,) Deus (termo proveniente de Zeus) Théos (forma fonética de Zeus) Baal (deus fenicio que tem o significado de: senhor, marido ou dono) God (forma inglesa de Deus, ramificação grammatical de Zeus) Kurios ( forma grega para “senhor”) e muitos outros.

Zeus, Théos e Deus, um só atributo para um mesmo nome de um ser maligno. Veja como este ato criminoso é narrado nas escrituras e como as vezes tem passado despercebidos para muitos: Em chegando as nações para onde foram, profanaram o meu santo nome... Ezekhyah (Ez.) 36:20.

Veja ainda: Mas tive compaixão do meu santo Nome, que a casa de Yashorul (Ysrael) profanou entre as nações para onde foi. Ezekhyah (Ez) 36:21. Observe Ezekhyah 36;22: Não é por amor de vós que faço isto, ó casa de Yashorul (Ysrael), mas pelo meu santo Nome, que profanastes entre as nações para onde fostes.

Yahu revela no livro do Profeta Yashayahu (Isaias) a situação espiritual que estava seu povo e seu nome sendo blasfemado todo o tempo: E agora, que tenho eu aqui que fazer, diz o Eterno, pois meu povo foi tomado sem nenhuma razão? Os que dominam sobre ele dão uivos, diz o Eterno Criador; e o meu nome é blasfemado incessantemente todo o dia. Yashayahu (Isaias) 52:5.

É do nosso conhecimento que até a destruição do primeiro Templo em 586 a.C, o nome sagrado era pronunciado regularmente com suas consoantes originais, (Yôd – Hê – Vãv – Hê), como esta claramente registrado nas cartas de Laquis, escritas não muito depois desta data; a famosa cidade fortificada de Laquis é mencionada vinte e três vêzes na Bíblia, achava-se a uns quarenta quilômetros de Yahushalaym (Jerusalém).

Suas ruinas foram extensivamente escavadas e em 1.935 numa sala da guarda da casa de portão duplo, foram encontradas ostarcas, que são pedaços de cerâmicas com inscrições. Descobriu-se que se tratavam de diversas cartas escritas em caracteres hebraico-fenícios antigos.

Porém, a partir do terceiro século antes de nossa era a pronuncia do nome sagrado (YHWH) foi substituida pela palavra “Adhonay” que significa: “Senhor”. O costume de usar "SENHOR" para indicar (YHWH) começou com a Septuaginta, (LXX - tradução dos setentas) a primeira tradução do Antigo Testamento, a qual foi feita entre 285 e 150 a.C.

O texto hebraico foi traduzido em Alexandria para a língua grega, nesse texto os tradutores da Septuaginta reduziram a escrito uma tradição oral das sinagogas, onde geralmente se lia "ADONAY" (Senhor) toda vez que ocorria o nome (YHWH).



Esse costume de não pronunciar o nome do Eterno já dura mais de 2000 anos, começou com os Yahudhyms (judeus) e continuou com os tradutores da bíblia até o dia de hoje. É chocante notar que na versão em português da Bíblia, encontramos a palavra "Senhor", no lugar do Nome Yahu (YHWH), mais de 6.800 vezes. Essa é uma forma de negar o verdadeiro Nome do Eterno e de profanar o nome do Eterno.

Seguindo o costume que começou com a Septuaginta, a grande maioria das traduções modernas usa "SENHOR" como equivalente de YHWH. (Dicionário da Bíblia de Almeida p.146 ) Em cópias posteriores à Septuaginta, o Nome do Altíssimo foi removido e substituido por palavras como "Deus" (Theos) e "Senhor" (Kyrios).

Sabemos que isso aconteceu porque existem fragmentos anteriores da Septuaginta em que o Nome do Altíssimo estava incluído e cópias posteriores dessas mesmas partes da Septuaginta em que o Nome do Altíssimo fora removido criminalmente.

O mesmo ocorreu no "Novo Testamento" ou escrituras gregas cristãs, não tardou até que a igreja gentia perdesse o Nome do Altíssimo exceto na medida em que era retratado nos substitutos abreviados ou lembrados por eruditos.

Portanto, ao passo que os Yahudym (hebreus) se recusavam a pronunciar o nome do Altissimo, a igreja cristã apóstata cuidou de removê-lo completamente dos manuscritos de lingua grega de ambas as partes da Biblia, bem como de traduções em outras linguas.

Alguns pontos são de extrema importância quanto ao cuidado que devemos ter para não cairmos em enganos ou sermos levados por falsas teorias acerca do Nome do Criador, uma vez que há muita corrupção envolvendo este assunto.

Existe muita falta de conhecimento sobre o assunto, de modo geral, do mesmo modo que existe muita ação voluntária e involuntária para ocultar a verdade sobre o Nome. Há os que, não tendo conhecimento, fazem suposições e as divulgam como se verdadeiras fossem.

Há também os que pensam alcançar a verdade por meio de lógicas humanas e deduções pouco fundamentadas. Ouvi a palavra de Yahuh, vós, filhos de Yashorul (Ysrael), porque Yahuh tem uma contenda com os habitantes da terra, porque não há verdade, nem benignidade, nem conhecimento de Yahuh na terra.

Só prevalecem o perjurar, e o mentir, e o matar, e o furtar, e o adulterar, e há homicídios sobre homicídios. Oshéyah (Oséias) 4:1,2.
Vejamos Yarmiyahu (Jr) 23:26-27 "Até quando sucederá isso no coração dos profetas que profetizam mentiras, e que só profetizam do engano do seu coração? Os quais cuidam fazer com que o meu povo se esqueça do meu Nome pelos seus sonhos que cada um conta ao seu próximo, assim como seus pais se esqueceram do meu Nome por causa de Baal" que é Senhor.

A história mostra que os filhos de Ysrael foram levados ao cativeiro na Babilônia em 606 a.C, e desde aquela época, o nome santo foi contaminado, profanado e substituído em ambos, nos escritos e na adoração. Seu nome santo deve portanto ser invocado, pronunciado e adorado com a maior reverência e nunca deve ser usado de forma banal.

Yahshorul (Ysrael) pagou e esta pagando um alto preço por ter profanado o nome santo do Eterno, mas a promessa do Eterno ao povo hebreu é maravilhosa, pois o Eterno os perdoará e revelará seu nome sagrado novamente aos Yahudyms (hebreus), veja Ezekhyah (Ez) 39:7: "E farei conhecido o meu santo Nome no meio do meu povo Ysrael, e nunca mais deixarei profanar o meu santo Nome; e os gentios saberão que eu sou (Yahuh), o Santo em Yahshorul (Ysrael).

Uma das maiores prova do nome arcaico sagrado (Yahuh) é encontrado na palavra usada universalmente para adoração do seu nome, a palavra hebraica “ HALLELU – YAH “ ou “HALLELU-YAHUH”, que significa “ Louve a Yahuh “. Quando proferimos esta palavra estamos adorando e louvando seu único e verdadeiro nome através desta palavra.

Outra grande prova que seu nome é Yahuh é a de que muitos profetas, sacerdotes e reis tiveram em seus nomes uma referência ao Todo-Poderoso Yahuh: Vejamos alguns exemplos: Elyahuh (Elias) significado: Yahuh é o meu Todo-Poderoso - Yarmiyahuh (Jeremias) significado: Yahuh me chamou - Yahshayahuh (Isaias) significado: Salvação de Yahuh - Obhadyahuh (Obadias) significado: Adorador de Yahuh;

Zhakaryahuh (Zacarias) significado: Yahuh se lembrou - Ezhekyahuh (Ezequias) significado: Yahuh tem fortalecido - Abyahuh (Abel) significado: sopro de Yahuh - Danyahuh (Daniel) significado: Yahuh é meu juiz - Gabryahuh (Gabriel) significado: Yahuh é minha força - Yahuhshalaym ( Jerusalém ) significado: cidade da paz.

“Porém escolhi Yahuhshalaym (Jerusalém) para que ali estivesse o meu nome;” (II Cor 6:6). As Escrituras afirmam que o nome do Eterno se encontra nos nomes dos Filhos de Yashorul (Ysrael): E se o meu povo, que se chama pelo meu nome,... Crônicas 7:14.

Observe nos nomes hebraicos, o nome arcaico do Eterno destacado na cor "amarela" com fundo "verde", cumprindo as afirmações da palavra em Crôn. 7:14. Podemos observar que todos os nomes hebraicos determinam uma benção especial para aqueles que o porta.

Os Yahudhyms (hebreus) sabiam disto, tanto isto é verdade que encontramos no livro de Danyahuh (Daniel), a preocupação do rei Nabucodonozor em mudar os nomes dos varões Yahudhyms (Danyahu 1:7), porque seus nomes hebraicos exaltavam o verdadeiro (Yahuh), criador do universo e isto era contrario a prática panteista e politeista daquele povo babilônico. Veja as mudanças:

Danyahuh (Daniel) significado: Yahuh é meu juiz para Beltessazar ( O amado de Baal )

Hananyahuh (Ananias) significado: Yahuh é gracioso para Sadraque ( inspirado de Akhu = lua)

Mishayahuh (Misael) significado: Quem é semelhante a Yahuh para Mesaque ( Quem é semelhante a Akhu = lua)

Azharyahuh (Azarias) significado: Yahuh tem ajudado para Abde-nego ( servo do deus fogo )

E muitos outros nomes de pessoas e lugares em Yahshorul (Ysrael) foram mudados, para ocultar o Nome Do Criador, e manter a humanidade em permanente ignorância. É o caso da cidade de Yahuhshalaym (Jerusalem), que nas traduções corrompidas, substuiram o “ Y “, a consoante hebraica “ Yôd ”, pela consoante latina “ J “, com isto o nome do Eterno e o da cidade foi corrompido.

Lembre-se que no alfabeto hebraico não existe transliteração para a consoante latina "J". O nome do Eterno Criador “Yahuh” ,com isto, foi corrompido para "Jeru – Ieru" ,indo contra as afirmações proféticas descrita nas escrituras. Diante de tantas provas e fatos comprobatórios a respeito do nome sagrado do Criador, afirmamos categoricamente que devemos adorar, louvar e invocar o único e real nome YAHUH UL.

Fonte: http://www.gedeoesdeyahoshuah.com.br/page3.php
O Eterno seja louvado.


Última edição por Admin em Sex Nov 05, 2010 5:31 pm, editado 2 vez(es)

Administrador
Admin

Mensagens: 1308
Reputação: -1
Data de inscrição: 13/07/2009
Idade: 52
Localização: Catanduva São Paulo

Ver perfil do usuário http://gideoes-ccb.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O VERDADEIRO NOME DO ETERNO!

Mensagem por Administrador em Dom Mar 14, 2010 12:32 pm

O TÍTULO "DEUS" É O PANTEÃO DOS DEUSES ROMANOS!

DEUS estes ser que o mundo hoje o conhece como criador dos Céus e da terra, nunca foi o Nome do Eterno YAHUH UL o D´us dos hebreus. Por quê? Primeiro porque este Deus é uma artimanha de Ha-shatan (diabo) para roubar a glória do verdadeiro Hashen dos hebreus, vejam de onde surgiu este título:

Deus veio de muitos títulos de Deuses pagãos de várias épocas do mundo depois de Noé.
Deus é o líder do panteão proto-indo-europeu, era conhecido principalmente como: Dyeus, seus nome sofreu várias mudanças até chegar onde chegou; vamos seguir alguns exemplos:

Em sânscrito era conhecido como Dyaus, nos balcãs como Dievas, nas regiões de Gaul de Diaspater, no grego de Zeus, na Alemanha de Tiwaz, no inglês de God e no latim inicialmente de Jove Pater (Júpter), depois de Dyeus Pater e posteriormente de Deus.

Todos estes títulos, Ha-shatan usou para quebrar o mais importante de todos os mandamentos exigido pelo o Eterno Yahuh que era não colocar outro D´us diante Dele; Ha-shatan fez tudo isto para roubar a glória que a noiva do Mashiach deveria dar somente ao Eterno Hashen e ao seu Único Filho nosso Principe e Salvador Yahúshua HaMashiach.

DEUS era o nome supremo do panteão romano, conhecido como o pai de todos os deuses, o senhor da luz. Assim como Zeus na Grécia; Deus (Dyeus/Júpter) era o mais adorado dentre todas as divindades do paganismo romano.

Roma exaltou o seu Deus, usando o SER mais supremos do Céu e da terra, que é o D´us dos Hebreus ULHIM AVINU (Ulhim nosso Pai), pois, este era o título que os antigos Yahudins (Judeus) chamavam o D´us dos discípulos. YAHUH UL é o Nome do Pai dos Yahudins e também do Mashiach Yahúshua o Filho do D´us dos hebreus, os adoradores destes dois Nomes, YAHUH E Yahúshua HaMashiach, mais tarde ficou conhecido como a "Seita dos Nasarenos".

Para os Hebreus a Divindade MOR do Céu e da terra foi e sempre será YAHUH UL; já para os romanos é Deus aquele que usurpou o nome do Hashen dos Yahudins, para cumprir a profecia de Hosheas (Oseias 2;16 e 17). O Deus do cristianismo, ingenuamente adorado pela a massa, foi propagado bem intencionado, com um único fim:

"perpetuar o louvor dos deuses pagãos de Roma; é um dos títulos que Ha-shatan/Satan/Samael (de onde derivou todos os nomes como Dani"el" que é Daniyahu, Samuel) era somente disfarce para que Ha-shatan fosse louvado diretamente pela a noiva do Mashiach".

Ose. 2;16 E acontecerá naquele dia, diz o Eterno Hashen, que me chamarás: Meu marido e não me chamarás mais: Meu Baal (que é meu Senhor).
Ose. 2;17 E da sua boca tirarei os nomes de baalins (os senhores), e os seus nomes (como Deus, Senhor e Jesus) não virão mais em memória.

Aqui ficou bem claro que o pecado de Efraim, estava no fato dele chamar o Eterno YAHUH de Deus e Senhor; este tem sido o maior pecado diante do Eterno Yahuh e os evangelicos não estão preocupados com isto. Ah! O nome não tem importancia, o que importa é a boa intenção de cada coração...

Pois é, de boa intenção o inferno está cheio e vai lotar com a chegado dos evangelicos que estão adorando os deuses pagãos de Roma. Como se fossem o D´us YAHUH UL (iarru-ul) dos hebreus, e não é! Sendo que os hebreus nunca pronunciaram este nome Deus; eles sempre usam Ulhim Avinu para expressar Ulhim nosso Pai.

A principal característica da restauração da FÉ da igreja do Mashiach, está exatamente em tirarmos estes nomes Deus, Senhor e Jesus das nossas bocas e corações, deixarmos de adorar Ha-shatan direto ou indiretamente e cultuarmos os Nomes verdadeiros do nosso Rei YAHUH UL (ya-rru-ul) e do seu Príncipe e nosso Salvador YAHÚSHUA HAMASHIACH (iarrú-shua ra-ma-shia-chi). Hashen seja louvado.


Última edição por Admin em Sex Nov 05, 2010 5:38 pm, editado 3 vez(es)

Administrador
Admin

Mensagens: 1308
Reputação: -1
Data de inscrição: 13/07/2009
Idade: 52
Localização: Catanduva São Paulo

Ver perfil do usuário http://gideoes-ccb.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O VERDADEIRO NOME DO ETERNO!

Mensagem por Administrador em Dom Mar 14, 2010 12:33 pm

Re: A Lenda
Escrito por: rodrigo netto (IP registado)
Data: 07 de Maio de 2004 15:17


há uma razão para eu não usar os termos deus e jesus, Alguns nomes e títulos que as pessoas usam para se referirem ao Messias.

Não se deve referir ao Messias pelos nomes abaixo relacionados, pelas razões que claramente explicaremos:

A tradução do Nome imutável do Messias, mais aceita popularmente, é baseada no idioma grego. O próprio Messias YAHUSHUA nos afirmou que "A salvação vem dos Yahudim" (judaicos), não do grego! Além disso, o Mais Sagrado Nome de nosso Criador, repetindo, não pode ser alterado de acordo com as nacionalidades e línguas do homem! Este é um costume tipicamente pagão e bárbaro na adoração de seus ídolos!

De onde saiu o engano de que o Nome de nosso Criador, e de Seu Filho, podem ser mudados de acordo com as línguas ou com os países? Qual é a base escritural desse costume, se é que há alguma? Nenhuma base, realmente nenhuma!

Certamente não foi da Bíblia que este ensinamento surgiu! Isto é do mundo! Então vamos reformar e começar a clamar pelo nosso verdadeiro e real Criador a partir de agora!

O vocábulo "Yehoshua"

Este vocábulo, erroneamente usado por muitos, é dos mais simples de se provar o erro. Ora, já estudamos anteriormente as razões malignas do Nome do Pai ter sido corrompido para "yehovah", pela concatenação dos massoréticos da palavra "adonay", proveniente do ídolo "Adonis", sobre o Tetragrama Sagrado. O vocábulo "yehoshua" nada mais é do que uma tentativa humana de conceber um nome para o Messias a partir do nome "yehovah". Para os que assim deram início a esta falsa crença, uma vez que consideravam o Nome do Pai como "yehovah", logo, consideravam o Nome de Seu Filho como "yehoshua". Quando o nome "yehovah" cai por terra, imediatamente o nome "yehoshua" cai junto.

Os vocábulos "Yashua" e "Yeshua"

Há duas razões claras que evidenciam ser estas pronúncias erradas e blásfemas para o Nome do Messias:

Vejamos a primeira:

É errado referir-se ao Messias como "Yahshua" ou "Yehshua" simplesmente porque, no hebraico arcaico as palavras "az", "ayz" e "eyz" se referem a um bode. Assim, quando você diz "Yahshua" ou "Yehshua" isto tem o significado literal de "o bode que salva" em hebraico arcaico. Você pode facilmente verificar isto olhando as palavras-raízes usadas nas Escrituras Hebraicas para a palavra bode. Especialmente olhando para o ítem de concordância número 5796 do Dicionário Hebraico-Caldeu ou qualquer outra concordância confiável.

Para compreender um pouco melhor esta questão, é preciso primeiramente compreender o sentido de "cacofonia", em português. Cacofonia é a formação de uma outra palavra expúria, por junção de duas outras palavras numa frase ou expressão. Alguns exemplos disso são:

"Foi vestida a roupa nela" - Nota-se a formação da palavra expúria "panela", que nada tem a ver com o contexto da frase.

"Este leque não abana nada" - Nota-se, neste caso, a formação não só de uma palavra, mas de uma expressão expúria na frase, qual seja: "Não há bananada".

Se você foi capaz de compreender isto, então será fácil compreender que, em hebraico arcaico original, quando se diz "yehshua" ou "yahshua", o que se está dizendo com fácil percepção auditiva é "o bode salva".

Você irá também perceber em sessões subsequentes deste material de pesquisa, que a forma de soletrar não é o que importa. O ponto vital é o que nós falamos, conforme interpretado através das Escrituras e para qual espírito invisível estes sons se referem, independentemente de como se soletra. Uma vez que a palavra para bode em hebraico arcaico é "az" ou "eyz", qualquer um ainda estará se referindo a ele sejam estas palavras escritas com "ahz" ou "aaaz" ou "ace", especialmente quando orando a espíritos invisíveis. Seria o mesmo que, em português, escrevermos a palavra "faca" como "faka" ou "phaca" ou ainda "phaka". Obviamente somente a primeira escrita é a correta, porém, todas tem o mesmo som e se pedirmos uma "faka" ao garçom de um restaurante, ele certamente nos trará uma "faca", baseado no que ele realmente nos OUVIU pedir.

Lembre-se que quando duas palavras são faladas sem nenhuma diferença de posição da língua contra o palato e aos lábios, as palavras são a mesma palavra, tanto quanto nos referimos à invocação de seres espirituais invisíveis. Por exemplo, se alguém chama o espírito inimigo, satan, ele irá atender independentemente de se escrever zeytan, zheytan ou z-taan. Assim, quando você chama "yahshua" ou "yehshua", o "bode" certamente ficará agradecido de ser considerado seu redentor. Isto é o cumprimento de sua missão: enganar, e fazer o incauto considerá-lo o redentor. O impostor é, francamente, fraudulento.

Vejamos a segunda:

Os Yahudim (judaicos) têm até os dias de hoje, o costume de suprimir uma letra dos nomes que eles, por qualquer motivo, considerem malditos. É muito comum encontrar-se escritas como "B'al" ou "B-al" em lugar de "Baal". Também, fora do aspecto religioso, para rixas pessoais, se o "Joaquim" for considerado maldito, seu nome será escrito "Joa'uim" ou "Joa-uim". Este costume popular teve sua origem na proibição escritural de que nenhum nome de ídolo deveria ser ouvido de seus lábios, o que realmente é verdadeiro, pois YAHU UL realmente nos proibiu de sequer pronunciarmos seus nomes. Com o tempo, porém, tal costume foi generalizado, passando a ser usado para qualquer nome ou palavra que fosse, de alguma forma, considerada maldita.

Ora, os Yahudim (judaicos), como nação, não como indivíduos, rejeitaram o Messias em Sua vinda, e, portanto, Seu Nome era, e é, considerado maldito por eles, como nação. A partir daí, de imediato se suprimiu a letra VAV, central, alterando-se a pronúncia para "yahshua", a partir do Nome original, ou "yehshua", a partir do nome errôneo "yehoshua" que já analisamos anteriormente. Posteriormente, para os que não conheceram o Nome Original, crendo ser "yahshua" ou "yehshua" o Nome do Messias, novas supressões foram feitas, chegando a encontrarmos o nome escrito como "Y'shua", onde também a letra "Hey" foi suprimida.

É, portanto, errôneo se referir ao genuíno Messias como "yahshua" ou "yehshua". O correto e exato Nome do Messias é: YAHUSHUAH (pronunciado IAU-RRÚ-SHU-A, com a tônica no "RRU"). O Nome "YAHUSHUA" significa claramente "YAHU É SALVAÇÃO"! Este exato Nome original traz, de fato, em si, o Nome do Criador, o Pai. É o verdadeiro Nome do autêntico Messias.

O vocábulo "Jesus"

A evolução do termo de uma língua para outra é a seguinte:

Yehshua (hebraico corrompido) - Iesous (Grego) - Iesus (latim) - Jesus (português)

(OBS.Note que os tradutores não usaram o nome original do Messias YAHUSHUA para fazer a tradução, além do fato já conhecido que nomes próprios não são traduzíveis, mas apenas transliteráveis).

Poucos sabem que o vocábulo Jesus é a tradução do grego IESOUS (em latim IESUS) a partir do hebraico YEHSHUA (significa literalmente, "o bode que salva") e portanto tornando errado referir-se ao Messias por "Jesus", como as grandes massas hoje fazem.

Já vimos que o vocábulo JESUS não se deriva diretamente de YAHUSHUA (forma original), mas da forma YEHSHUA, através do grego e do latim que tem o significado "o bode salva". A letra J inicial se explica da seguinte forma: os Yahudim da Dispersão, empenhados em traduzir as Escrituras do hebraico para o grego (a Septuaginta), não encontraram nessa língua uma consoante correspondente no hebraico. A solução, então, foi recorrer à vogal grega iota, que corresponde ao nosso "i". Então escreveram Ieremias, começando com i, e assim, por diante, inclusive Iesous.

Mas como foi que esse "i" tornou-se "J" ?

Foi através do latim, que deu origem às línguas neolatinas, entre as quais está o português. No latim posterior à Idade Média, começou a aparecer na escrita a distinção que já existia na pronúncia entre o "i" vogal e o "i" consoante, o qual passou a ser grafado "J".

Agora, a explicação para o "S" médio em "Jesus". No vocábulo hebraico YESHUA, o grupo sh representa a consoante shin. Por não haver em grego som correspondente a essa consoante fricativa palatal (que soa como a letra "x" em "eixo"), os Yahudim a substituíram por "sigma", também fricativa, mas linguodental (que em grego, mesmo entre vogais, soa como o nosso "s"). O ditongo grego "ou" soa "u", como em francês.

O aparecimento do "s" final no nome "Jesus" se explica pela necessidade de tornar esse nome declinável: Os Yahudim substituíram a letra "ayin" final pela letra "sigma" (o s do grego) do caso nominativo. Nos outros casos a palavra se declina assim: Iesou (genitivo), Iesoi (dativo), Iesoun (acusativo) e Iesou (vocativo). Com isso, foram, aparentemente, resolvidos dois problemas de uma só vez: O nome ficou declinável, e o "ayin" final, que não tem equivalente em grego, foi substituído por um "sigma" (letra "s").

Outras claras considerações sobre o vocábulo "Jesus" são as que seguem abaixo:

Não existe letra "J" em hebraico, seja arcaico ou seja moderno. A letra "J" só apareceu no século XIV, portanto o Messias jamais poderia ter um nome que começasse ou possuísse a letra "J".

O Nome do Filho traz em si o Nome do Pai. As escrituras mostram isso com clareza. O nome "Jesus" absolutamente não traz em si o Nome do Pai.

O Nome do Filho traz em si um significado que o nome "Jesus" não traz! As Sagradas Escrituras mostram em Mat-us 1:21 o seguinte: "...ela dará à luz um Filho, e lhe porás o Nome de ....... PORQUE ELE SALVARÁ O SEU POVO DOS PECADOS DELES". O anjo que informou o Nome que o Messias deveria receber, também EXPLICOU por que Ele receberia este Nome. A explicação do Nome do Messias tem a ver com o significado de Sua obra redentora. Esta explicação e significado não se encontra de forma alguma no popular, mas falso, "Jesus". O nome "Jesus" não diz respeito à salvação alguma, nem possui significado algum que se pudesse sequer comparar com a explicação do anjo. O verdadeiro Nome do Messias, YAHUSHUA, este sim, possui toda esta riqueza de significado.

As Sagradas Escrituras afirmam que "A salvação vem dos judeus". O Messias foi prometido aos judeus nas Sagradas Escrituras Hebraicas, nasceria do povo judeu, nasceria em Belém de YAHUdáh (Judá), e obviamente, teria um Nome judaico. O nome "Jesus" não é, absolutamente, de origem judaica, mas sim, greco-romana!
Continua:


Última edição por Admin em Sex Nov 05, 2010 5:42 pm, editado 1 vez(es)

Administrador
Admin

Mensagens: 1308
Reputação: -1
Data de inscrição: 13/07/2009
Idade: 52
Localização: Catanduva São Paulo

Ver perfil do usuário http://gideoes-ccb.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O VERDADEIRO NOME DO ETERNO!

Mensagem por Administrador em Dom Mar 14, 2010 12:34 pm

Escrito por: rodrigo netto (IP registado)
Data: 07 de Maio de 2004 15:20


A verdadeira origem do falso nome "Jesus"

Já vimos, em nosso estudo, que o nome do Filho do Altíssimo é YAHUSHUAH, um Nome Sagrado e hebraico, pois YAHUSHUAH era hebreu, filho de pais Yahudim, e as línguas que YAHUSHUAH falava era o aramaico (dialeto bem próximo do hebraico) e o próprio hebraico.

Nosso salvador Molkhiul YAHUSHUAH hol-MEHUSHKHAY não era grego nem romano, por isso não tinha um nome nem em grego, nem em latim.

Como vimos anteriormente, o vocábulo "Jesus" não se deriva diretamente de YAHUSHUA (o Nome verdadeiro do Filho), mas da forma "YEHSHUA", através do grego e do latim, que significa literalmente "o bode salva".

No latim primitivo, JESUS CRISTO era escrito "ZESVS CRISTVS" (o V tem som de U). Nesse nome está contido, na forma de anagrama, o nome da suprema divindade da mitologia grega ZEUS. Vejamos:

ZESVS - suprimindo-se o S central temos: Z E V S ou Z E U S

No idioma grego o nome JESUS e IESOUS que é um anagrama de duas divindades pagãs:

I E S O U S = I O + S E U S

I O era o nome de uma divindade feminina da mitologia grega, e SEUS é ZEUS, o ídolo supremo dos gregos (equivalente ao Júpiter da mitologia romana).

I E S U S = I + SEUS

I e a abreviatura de IO e SEUS é uma variação de ZEUS.

Em português, o nome JESUS é:

J E S U S = J + SEUS

J e a inicial de Júpiter (o Zeus romano), além de ser uma letra derivada do I latino; e SEUS é ZEUS.

Como podemos observar: "Jesus = Je-zeus"

Neuza Itioka comentando ainda sobre o nome Jesus entre os Umbandistas em seu livro OS DEUSES DA UMBANDA, diz: (pág 123).

"Na realidade, quando se invoca o nome de Jesus na Umbanda, invoca-se o nome de um pessoa muito diferente daquele que se revela nas páginas do Livro Sagrado. Podemos afirmar categoricamente que existe um espírito ou demônio que se cognomina "Jesus" que se apresenta como o Cristo das páginas sagradas. Mas ele é um impostor e uma contrafação do verdadeiro. Muitos tiveram experiências com este espírito, sendo enganados, levados a aprofundar-se mais no ocultismo. Às vezes ele aparece em visões, mas não resiste ao teste de alguém que saiba provar os espíritos. É o que aconteceu com uma jovem que, ao "receber Jesus no coração", adquiriu uma doença neste órgão. A jovem era levada a manter relações sexuais com este pseudo-Jesus. Uma vez o espírito de perversidade tendo sido expulso, a jovem sarou da sua doença".

Faz-se necessário neste momento um pertinente esclarecimento sobre o fato relatado por Neuza Itioka. Pelo desconhecimento da autora quanto à identificação exclusiva de seres espirituais pelos seus nomes, concluiu ela que tal devesse se tratar de um "pseudo-Jesus", uma vez que ela desconhece ser YAHUSHUAH o Nome do único e verdadeiro Messias. Contudo, este não é um pseudo-Jesus, senão o ser espiritual que possui este nome, e que atua independentemente de ser invocado em centros de macumba, maçonaria, igrejas católicas ou igrejas evangélicas. Infelizmente a grande maioria da assim chamada "cristandade" ainda não se deu conta de que invocam e depositam toda a sua confiança num nome artificial, chamado "Jesus", que positivamente não é o do Messias das páginas das Sagradas Escrituras originais.

Também queremos acrescentar aqui as palavras do Dr. Rev. Álvaro Reis. Este, como alguns dos demais citados, não faz uma defesa da Restauração e Santificação do Nome verdadeiro de Nosso Salvador, mas nos seu escritos o Dr. Alvaro Reis nos dá uma grande contribuição para compreendermos a estratégia usada pelo inimigo para deturpar e blasfemar do Nome do Altíssimo e de Seu Filho.

"Epiphanio afirma que a prática de fazer "HÓSTIAS" principiou entre as mulheres da Arábia, no quarto século, justamente em culto idólatra tributado à virgem Maria, também chamada "Rainha do Céu". Pois bem, no culto egípcio quase toda letra e nome tem uma significação simbólica. O disco redondo tão freqüente nos emblemas sagrados, simboliza o sol. "Quando OSIRIS - o deus SOL - tomou a forma humana, nasceu não meramente a fim de oferecer sua vida como sacrifício, mas para que se tornasse vida e alimento das almas dos homens".

É admitido universalmente que "ISIS" era o tipo original da deusa "CERES". "CERES", porém, era adorada não só como a descobridora do trigo, mas era também considerada a "Mãe do Trigo". (Davis - Los Druidas Britânicos, pag 320, 540). Aí temos, pois, o trigo transubstanciado no filho da deusa "CERES", a "Senhora Rainha do Céu"!

A Virgem "CERES", era, porém, representada com "uma espiga de trigo nas mãos, que correspondia a deusa e seu filho; como no Egito, a "ISIS" e "OSIRES"; como na Índia "ISA" e "ISVRA", na Ásia, "SIBELE" e "DIONÍSIO"; em Roma "FORTUNA" e "JÚPITER", como na Grécia "IRENE" e "PLUTUS", em seus braços, e como ainda no Tibete, na China e no Japão, onde os missionários jesuítas ficaram maravilhados, vendo que a "Senhora e seu Filho", eram adoradas como na igreja papal do Vaticano. (Hislop - Las dos Babylonas, pag 33)

Mais adiante, continua o Rev. Álvaro Reis, no resultado de sua interessante pesquisa histórica:

"O "Filho de CERES", que se encarnara no trigo, criam os egípcios que era o deus "SOL": (Busen El Egito, Tomo I, pag 386, 387). Pois bem, além das circunstâncias já referidas, que tão eloqüentemente proclamam o mimetismo que a Igreja Católica Romana tem praticado do paganismo, parece que teve inconscientemente o cuidado de conservar, em sua liturgia, as evidências da origem, pagã do seu sacrifício cruento, no deus "Hóstia", feito de trigo e de forma redonda. E que mais, se em Babilônia o deus "BAR" era chamado de "TRIGO", se no Egito o deus "SOL" era representado na "HÓSTIA DE TRIGO", na Igreja Romana, em uma das suas orações da litânia, o católico se dirige a HÓSTIA e diz muito seriamente: "... Óh! Trigo dos Eleitos, tem misericórdia de nós!..."

Pois bem, ainda apresento - A marca da fábrica!!!

As Hóstias trazem a marca "I.H.S" que dizem os romanistas significar: "IESU HOMINUM SALVATORI" ou "Jesus Salvador dos Homens". Pois bem, para os pagãos egípcios esse mesmíssimo sinal ou marca de "IHS" significava: "ISIS, HORUS, SEB", isto é: "A Mãe, o Filho e o Pai dos deuses".

Vimos, assim, em três idiomas, o nome "JESUS", originado de nomes espúrios de divindades pagãs, especialmente relacionado ao nome do ídolo supremo da mitologia greco-romana, um ídolo temperamental e imoral. A operação do erro atingiu o ETERNO Nome do Altíssimo, Supremo Criador e também o Maravilhoso Nome do Seu Filho. Tudo isso aconteceu porque a "cristandade" não poderia admitir adorar a um Salvador Soberano e Criador com Nome hebraico, embora Ele seja o único Soberano e Altíssimo Criador, que escolheu vir à terra como homem e morrer em Yashorul, como judeu. Muitos esquecem que os patriarcas foram os pilares da nação de Yashorul, que os profetas todos eram Yahudim, que o próprio YAHUSHUAH era cidadão judeu, assim como todos os seus apóstolos. Assim, nos parece claro que não se deve traduzir nomes próprios, pois corre-se o risco de incorrer em erro e adulterar o nome original.

Queremos deixar bem claro que não é nossa intençãomudar o nome do Altíssimo e Criador YAHU UL, mas restituir-lhe a sua original glória e honra, agora que a volta do nosso Molkhiul YAHUSHUAH hol-MEHUSHKHAY está tão próxima. Como Ele mesmo disse:

"Pai, glorifica o Teu Nome. Então veio uma voz do céu: Eu já o glorifiquei, e ainda o glorificarei" (YAHUrránan 12:28) (Jo).

http//www.paroquias.org Paróquias de Portugual.


Última edição por Admin em Sex Nov 05, 2010 5:46 pm, editado 2 vez(es)

Administrador
Admin

Mensagens: 1308
Reputação: -1
Data de inscrição: 13/07/2009
Idade: 52
Localização: Catanduva São Paulo

Ver perfil do usuário http://gideoes-ccb.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O VERDADEIRO NOME DO ETERNO!

Mensagem por Administrador em Dom Mar 14, 2010 12:35 pm

Escrito por: rodrigo netto (IP registado)
Data: 07 de Maio de 2004 15:25


Retornando ao original

De fato, estamos retornando ao Nome real, original e sem modificações, de nosso Criador e de Seu Messias! Estamos voltando ao original e ao melhor! YAHUSHUAH é o Nome hebraico original do Messias!

Quando a Bíblia foi traduzida para o grego, é triste mas verdadeiro, o Nome de nosso Criador e de Seu Messias também foi traduzido! Para ser fiel ao original na tradução das escrituras, os tradutores deveriam zelar para que os nomes fossem transliterados, não traduzidos. Isto significa que os nomes deveriam ser transferidos som a som, sílaba a sílaba, de forma que os nomes corretos fossem conservados, especialmente os de nosso Criador e de Seu Messias. Mas, infelizmente, isto não aconteceu. Os nomes também foram traduzidos e, como efeito, adulterados, suprimidos ou substituídos!

Trocados por diferentes nomes de ídolos pagãos e até mesmo nomes blásfemos!

"YAHUSHUAH" é o Nome acima de todos os nomes. Há muito poder por trás deste Nome. Ele não podia e não devia ter sido traduzido como "Iesous", cuja palavra raiz é "zeus" e, portanto, alterando e trocando tão gravemente o ser espiritual por trás daquele Nome maravilhoso!

Lembre-se, um nome representa toda a personalidade e autoridade atribuídos à pessoa por trás dele. Alterando os nomes de seres espirituais implica na mudança das entidades representadas por estes nomes, personalidades, caráteres, papéis na vida, bem como as forças espirituais invocadas por estes nomes. E, além disso, YAHU UL, nosso Criador, jamais autorizou tal mudança de Seu Mais Sagrado nome.

"Este é o Meu Nome eternamente, pelo qual sereichamado e lembrado de geração a geração"! (Êxodo 3:13-15).

Na verdade, diferentes nomes em diferentes línguas possuem correspondências entre eles. Por exemplo, o nome inglês "James" tem seu correspondente "Tiago" em português, "George" tem seu correspondente "Giorgio" em italiano etc. Estes são rudimentos de particularidades e tradições do homem, por conveniência, para tornar mais fácil de pronunciar, ajustados às inclinações de seus padrões de linguagem, assim tornando as Bíblias impressas mais vendáveis.

Trazendo à sua lembrança quão severo YAHU UL é com os significados atribuídos aos nomes dados, você vai se recordar de como Ele mudou os nomes de Abraão e Jacó e de como Ele severamente proibiu que dessem outro nome a YAHUrránam o Imersor (João Batista) que não fosse o que Ele determinou em Lucas 1:59-64. Também trocou o nome de Pedro. Por quê?

Porque um nome adequado significa muito! Representa todo o caráter, qualidades, reputação, capacidade, autoridade, atributos e a totalidade da pessoa representada por aquele nome particular! E pensar que o Nome do Messias foi determinado pelo próprio Todo-Poderoso YAHU UL e ordenado à abençoada virgem Maoroém (Maria) através de Seu anjo! Sempre tenha em mente também que essas pessoas estão lidando com seres espirituais por trás de todos os nomes que eles utilizam em orações ou qualquer outra comunicação com o mundo espiritual.

Lembre-se, eles estão ocultos, então devemos ser específicos e cuidadosos ao identificar com quem estamos lidando e nos comunicando. Quem ou qual o espírito oculto e invisível que irá responder no mundo espiritual ao nosso redor, se justo ou perverso, dependerá unicamente dos nomes que invocarmos.

Lembre-se sempre destes fatos inquestionáveis:

Você não vê os seres espirituais, portanto não pode apontar com seu dedo com qual deseja falar.
Você não conhece a aparência visual de seres espirituais, então não pode se referir a nenhum aspecto físico como identificação.
Você não pode pensar que o Altíssimo YAHU UL ou Seu Messias YAHUSHUAH "entenderão" que é com eles que você está querendo falar, se não invocar os Seus Nomes. Lembre-se que os profetas de "Baal" criam ser "Baal" o Criador Supremo Todo-Poderoso, mas não foi por isso que YAHU UL "entendeu" que estavam falando com Ele. Não poderiam os profetas de "Baal" estarem invocando o Todo-Poderoso, só que com outro nome? YAHU UL entendeu que não. Nada aconteceu durante toda a invocação de "Baal", por mais que estes profetas pensassem estar falando com o Todo-Poderoso.
Seres espirituais são invisíveis e impossíveis de se identificar a não ser pelos seus nomes.
Nome correto trará honra e glória ao Altíssimo, nomes errados são indesejáveis e notoriamente imitam os verdadeiros, para iludir a muitos. São mentirosos e ilusórios. Impostores, de fato.

Quem somos nós para mudar as declarações de YAHU UL sem Sua autorização e sem Sua aprovação? Assim será feito, YAHU UL, nosso verdadeiro Criador, Fonte e Rei! Qual o Seu Nome no céu? Certamente não é "Deus"! Nomes de ídolos são proibidos de serem pronunciados no céu por Suas criaturas. E, além disso, YAHU UL certamente não espera que mencionemos nomes de ídolos com nossos lábios! (Êxodo 23.13)

Então usar nomes traduzidos será como andar na areia movediça!

Será agradável a YAHU UL se as pessoas se ajustarem e se adaptarem ao Seu Nome, sem procurar outros meios. Ele não responde quando você O chama por outro nome, especialmente quando se refere a ídolos. Lembre-se, Ele é o Todo-Poderoso!

E mais, como você pode ter certeza que você vai contactar YAHU UL, se você o chama por uma tradução do Seu Nome que Ele nunca autorizou, em primeiro lugar?

É como tentar contactar um amigo ligando para um número telefônico diferente! E um impostor lhe responde e lhe faz de tolo do outro lado da linha! Será primeiro de abril todo dia, de fato! Preste atenção! Você foi avisado! Não seja iludido... pelo contrário, seja sábio espiritualmente, conforme as escrituras!

Lembre-se, nomes originais nunca devem ser traduzidos, em vez disso devem ser TRANSLITERADOS (transferidos, copiados som por som) na tradução das Escrituras Sagradas para diferentes línguas! Os que pensam diferente dizem assim:

"Mas nós devemos alterar o Nome do Altíssimo para o nome de um ídolo popular local, para que todos possam aceitar prontamente a Bíblia. Exemplo: se as tribos da Micronésia veneram um ídolo local que eles chamam de BEL, então será mais fácil usar este nome para o Criador na tradução das escrituras para sua língua nativa. Como mais eles poderiam receber a Palavra se eles não concordam, antes de tudo, que o seu espírito-ídolo é incorreto? Então, o primeiro versículo da Bíblia traduzida ficaria: "No princípio, BEL criou os céus e a terra"!

Chocante! Ou se, em outro lugar, o referido ídolo nativo se chamasse "Jesus", então as palavras da Bíblia teriam que ser alteradas e traduzidas assim: "Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida". Você deve estar tão chocado quanto antes! Por que não? Porque trocar o Nome para "BEL" ou "BAAL" ou "SATURNO" ou "JÚPITER" ou "OLORUM" seria menos chocante do que trocá-lo por "Jesus"? Simplesmente porque você já está acostumado há muitos anos no engano de que este nome é santo, puro e verdadeiro? Se fosse uma questão de hábito de muitos anos, então as boas novas deveriam ser pregadas no Japão afirmando que "Buda" é o nome do Salvador, e não "Jesus". Simplesmente absurdo, não? Tão absurdo quanto insistir em invocar "Jesus" tendo o conhecimento de que o verdadeiro Messias se chama YAHUSHUAH e não atende por NENHUM OUTRO NOME que não este. "Porque não há salvação em nenhum outro, pois debaixo dos céus nenhum outro nome nos foi dado pelo qual importa que sejamos salvos" (Atos 4:12).

Porque temos ouvido isto por tanto tempo que nos acostumamos com isto, então não questionamos mais se o que ouvimos é verdade ou não!

Uma mentira freqüentemente repetida será aceita por humanos pouco racionais depois de algum tempo de contínua repetição, e depois de muito tempo, vão defendê-la como sendo verdade! E darão suas vidas por essa mentira! De fato muitas pessoas são destruídas por falta de conhecimento.

Apesar da escrita ser diferente, o nome dos ídolos ainda são chamados, ocultos por trás de diferentes escritas, mas produzindo os mesmos fonemas e sons. Isto é o que a expressão "mal oculto" significa: o mal que está oculto, imperceptível para os imprudentes, embora presente e atuante sobre os que o chamam. Você daria ao seu filho o nome de "zhatan"? Por que não? Porque se assemelha a "satan"! Mas com uma escrita diferente. E nem por isso você aceitaria a proposta. A resposta é óbvia. Claro? De fato! Então por que muitas pessoas ignorantemente fazem de "je-zeus" seu "baal" ou "lorde"? Meu povo é destruído por falta de conhecimento. E há uma serpente astutamente iludindo o mundo inteiro. Mas ha-satan sempre inclina seus joelhos para YAHUSHUAH hol-MEHUSHKHAY!

Você sabia que "zeus" é o ídolo dos furacões, tornados, tempestades, ciclones e todos os fenômenos do tipo? Então é melhor parar agora de chamar por este ídolo-espírito da escuridão, iludindo o mundo inteiro com seus fingimentos e enganos. Mas Molkhiul YAHUSHUAH é a Luz da vida, e Ele veio destruir as obras do diabo. E nós agora repreendemos todos os maus espíritos associados ao culto de "zeus".

Então você deve continuar a procurar mais profundamente, para saber as verdades honestas, ocultas por trás destas traduções, chegando às raízes destas palavras em hebraico arcaico, significados e intenções originais! Mesmo os animais selvagens procuram por suas origens, seus pais e fontes e certamente você é mais sábio que os animais. Então uma razão para ser salvo na terra é pesquisar, procurar e inquirir seu Criador, Rei e Fonte de Vida! Apenas senso comum é razão suficiente para fazer isto. E você tem muitos anos para terminar sua missão de voltar ao seu Criador. Quanto antes você o fizer, melhor será sua vida na terra!

A verdade é tão preciosa que deve ser cercada por guarda-costas contra a mentira! Porque apenas a verdade liberta as pessoas! Das maldições do inimigo.

YAHUSHUAH hol-MEHUSHKHAY é o autêntico Caminho, Verdade e Vida!

Não "je-zeus" dos cultos primitivos mitológicos gregos.

O mesmo acontece com outros nomes tão idolatrados, como "Shem" (da deusa "Shemiramis", mulher de Tammuz, venerado nas religiões primitivas assírio-babilônicas) "Adonai" (do ídolo greco-fenício "Adonis") e "ISRAEL" (que faz menção a três ídolos: "Ish", "Rá" e "EL"). Nós não desejamos ofender ninguém; apenas queremos permitir que você saiba a verdade, pelo amor em nossos corações por você!

Antes a verdade, que freqüentemente nos machuca, do que mentiras, cobertas de açúcar! Golpes de um amigo são melhores do que beijos de um inimigo... assim dizem os Mahush’lei (Prov.) da Bíblia. O culto a Shem é o culto ao sol dos dias atuais! Enquanto o culto a "Adonai" é, na verdade, o culto ao "velho dragão".

Certamente você virá a entender agora onde o povo hebreu saiu da linha que os levou a muitos acontecimentos infelizes em sua história, sendo a nação onde YAHU UL, o Guardião de Yashorul, parecia não proteger.

Mas YAHU UL sabe o que se passa e permitiu que isto acontecesse, como forma de castigo, para fazer com que os Yahudim retornassem a Ele, YAHU UL, e realmente reconhecessem que Ele, e não "Shem" ou "Adonai", é o Guardião de Yashorul (nome poético do povo Yahudi).

A verdade é a verdade e será melhor para nós recebê-la; ao mudarmos, será melhor para nós e para o Altíssimo!

Quem disse que mudar é difícil? Tudo fica fácil uma vez que decidimos mudar! Vamos optar pela verdade, ou não?

Então chame por YAHU UL agora e peça perdão por tais idolatrias, apesar de não-intencionais. Pecado é pecado! Ignorância diante de Suas Palavras não justificam.

"Meu povo é destruído por falta de conhecimento" (Oshua 4:6) (Oseias).

"Qualquer um que desobedeça alguma lei de YAHU UL, mesmo sem o saber, será culpado assim mesmo"! (Levítico 5:17).

"Culpado" é aquele que merece ser punido ou penalizado!

"O que encobre as suas transgressões, nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia" (Mahush’lei 28:13) (Pv).

"Se confessarmos nossos pecados, Ele é fiel e justo, para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça" (YAHUrránan 1:9) (1 Jo).

"Vinde então e argui-me, ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve, ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã" (YashuaYAHU 1:18) (Is).

Então vamos nos arrepender! No arrependimento está nossa salvação!

Vamos parar de orar, adorar e venerar a "Shem", "Adonai" e "je-zeus" porque YAHU UL repudia todo tipo de prática de idolatria, independente de quem o faz, Yahudim ou gentio.

Mas há milhões fazendo isto! Números podem transformar mentiras em verdades? Lembre-se, largo é o caminho que leva à destruição e muitos, repetindo, muitos vão por ele, mas estreito é o caminho que leva à vida, e poucos são os que o encontram!

POUCOS, POUCOS, POUCOS! Lembre-se sempre!


Última edição por Admin em Sex Nov 05, 2010 5:52 pm, editado 1 vez(es)

Administrador
Admin

Mensagens: 1308
Reputação: -1
Data de inscrição: 13/07/2009
Idade: 52
Localização: Catanduva São Paulo

Ver perfil do usuário http://gideoes-ccb.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O VERDADEIRO NOME DO ETERNO!

Mensagem por Administrador em Dom Mar 14, 2010 12:45 pm

Escrito por: rodrigo netto (IP registado)
Data: 07 de Maio de 2004 15:26


O Nome do Altíssimo através das eras

YAHUH UL quer que o homem conheça Seu Nome. No decurso da história dos Yashorulitas, até a época em que retornaram a Yahudah (Judá), após o cativeiro deles em Babilônia, o uso do Nome YAHUH continuou a ser comum. O Rei Davi, um agradável ao coração do próprio Altíssimo, usou extensivamente o Nome do Criador.

Este ocorre centenas de vezes nos Tehillim (Salmos) que ele escreveu (Atos 13:22 ). O Nome do Altíssimo estava também incorporado em muitos nomes pessoais Yashorulitas. Assim, lemos sobre OdmaYAHUH (Adonias - "YAHUH me Governa"), YashuaYAHUH (Isaías - "Salvação de YAHUH"), YAHUnaokhan (Jônatas - "YAHUH tem dado"), MichaYAHUH (Miquéias - "Quem é semelhante a YAHUH?") e YAHUshuaH (Josué - "YAHUH é Salvação").

No nome de ManYAHUH que também é um louvor a YAHUH, significando "Agradável é YAHUH", ocorreu corrupção: quando foi traduzido, escreveram Mateus que é um louvor a Zeus - Veja: Man + YAHUH. Agora veja como foi traduzido: Ma + THEOS onde THEOS = ZEUS. Com isso, transformaram o significado de "Agradável é YAHUH" em "Agradável é Zeus". É muito importante notar que nomes próprios não são traduzíveis, mas apenas transliteráveis, o que consiste em transpor som a som do nome em sua língua de origem para a língua de destino. No caso de ManYAHUH, não só a tradução não deveria ter sido feita, como também jamais se deveria ter permitido a substituição do Nome YAHUH pelo nome de um ídolo da mitologia grega. Note também que as palavras ZEUS, THEOS e DEUS são a mesma palavra em termos linguísticos, razão pela qual o título "DEUS" é idolátrico e blásfemo para ser usado em relação ao Altíssimo YAHUH UL.

O Nome do Altíssimo fora da Bíblia

Existem várias evidências de fontes de fora da Bíblia a respeito do uso extensivo do Nome do Altíssimo nos tempos antigos. Em 1961 uma antiga caverna mortuária foi descoberta um pouco a sudoeste de Yahushuaoleym, segundo um artigo na Israel Exploration Journal, (Volume 13, N, 2). Nas suas paredes havia inscrições hebraicas, que aparentemente datam da segunda metade do oitavo século AEM (Antes da Era Messiânica). As inscrições contêm declarações tais como: "YAHUH UL é o Supremo Altíssimo de toda a terra".

Em 1966 publicou-se um artigo na Israel Exploration Journal (Volume 16, n 1) a respeito de fragmentos de cerâmicas com inscrições hebraicas neles encontrados em Arade, no sul de Yashorul. Estas foram inscritas na segunda metade do sétimo século AEM. Uma delas era uma carta pessoal a um homem chamado Eliasibe. A carta começa assim: "Ao meu maór Eliasibe: Que YAHUH UL peça a tua paz", e termina: "Ele mora na casa de YAHUH".

Em 1975 e 1976, arqueólogos que trabalhavam no Neguebe descobriram uma coleção de inscrições hebraicas e fenícias sobre a parede de estuque, grandes jarras de estocagem e vasos de pedra. As inscrições incluíam a palavra hebraica para o Altíssimo, YHWH, em letras hebraicas. Na própria Yahushuaoleym foi descoberta recentemente uma pequena faixa de prata enrolada, aparentemente datada de antes do exílio babilônico. Os pesquisadores dizem, que quando foi desenrolada, encontrou-se escrito nela o Nome YAHUH em hebraico.

Biblical Archaeology Review, março/abril de 1983, página 18.

Os Yahudim (judaicos) e o Nome do Altíssimo

Ninguém pode dizer com certeza quando foi exatamente que os Yahudim ortodoxos deixaram de pronunciar audivelmente o Nome do Altíssimo e, em vez disso, o substituíram pela palavra Adonai (Proveniente do ídolo "Adonis"). Alguns crêem que o Nome YAHUH deixou de ser usado cotidianamente bem antes dos dias do Messias. Mas, há forte evidência de que o sumo sacerdote continuou a pronunciá-lo nos ofícios religiosos no templo, especialmente no Dia da Expiação - até o templo ser destruído em 70 EC. Assim, quando o Messias esteve na terra, a pronúncia do Nome era conhecida, embora não fosse amplamente usada.

Algumas razões de ordem religiosa humana levaram os Yahudim a não pronunciarem abertamente o Nome do Pai, YAHUH.

Uma delas se relaciona diretamente às penalidades previstas na Lei, de que seria passível de morte aquele que blasfemasse o Nome YAHUH. Por precaução de não vir a ser acusado de blasfêmia, e consequentemente apedrejado até a morte, o Yahudi no cotidiano deixou de pronunciar o Nome, ficando a Sua pronúncia reservada para as cerimônias religiosas e para o ensino tradicional doméstico.

Outra razão foi a tentativa de ocultar dos gentios o conhecimento do Nome, com o objetivo de não permitir que o Nome fosse blasfemado por eles. Esta tentativa, sem dúvida, vai muito além da proteção que YAHUH UL providenciou para Seu próprio Nome. A proteção que YAHUH UL providenciou foi clara e afirma que YAHUH UL não terá por inocente aquele que usar em vão o Seu Nome. O uso indevido do Nome YAHUH é assunto de juízo futuro da parte do próprio YAHUH UL, e não assunto em que os homens tenham de tomar "providências adicionais" para proteger o Nome de blasfêmias ou uso indevido.

Como tudo que vai além da Palavra de YAHUH UL, ou fica aquém da Palavra de YAHUH UL, não produz bons resultados, a consequência destas atitudes foi uma indevida substituição do Nome na leitura das escrituras ou na conversação normal, por outros nomes ou expressões dentre as quais são mais comuns "adonay" e "ha-shem". A forma "adonay" não consta das Sagradas Escrituras. É um simples derivado do nome do ídolo "Adonis", ídolo da beleza e fertilidade masculina. Esta adaptação tendenciosa e expúria deu origem ao tão popular "jeová" dos dias atuais. A forma "ha-shem" no hebraico moderno significa simplesmente "o nome". Contudo, esta forma está bastante comprometida com culto pagão do ídolo "shemiramis". A forma original arcaica desta mesma expressão seria "hol-shuam", ainda assim sendo uma referênica ao Nome, mas não o próprio Nome. O Eterno seja louvado.

Administrador
Admin

Mensagens: 1308
Reputação: -1
Data de inscrição: 13/07/2009
Idade: 52
Localização: Catanduva São Paulo

Ver perfil do usuário http://gideoes-ccb.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum